Polícia Federal investiga venda ilegal da “Pílula do Câncer” no país

Ana Cláudia Freire

venda ilegal da pílula do câncer. PF operção placebo

A PF (Polícia Federal) investiga um grupo criminoso que produz e introduz irregularmente no país a  “Pílula do Câncer”. O suposto medicamento é comercializado ilegalmente como um produto com fins terapêuticos ou medicinal.

A “Pílula do Câncer” é feita à base de  Fosfoetanolamina, um composto químico orgânico presente naturalmente no organismo.

O medicamento não possui registro nos órgãos competentes, sendo sua introdução e venda em território nacional, crime previsto no Código Penal.

Além disso, para o paciente em tratamento de câncer, o risco do uso de medicamentos não autorizados é muito grande. Principalmente se o paciente optar por abandonar o tratamento convencional.

Para o cirurgião oncológico e mastologista, Dr. Cícero Urban, é natural que pacientes procurem tratamentos alternativos, porém, abandonar o tratamento convencional é um grande risco. “Sempre oriento meus pacientes que não abandonem o tratamento convencional. Muitas vezes o paciente acaba voltando em uma situação mais grave e, às vezes, acaba perdendo a chance de cura. É muito importante que pacientes procurem conversar com seus médicos dando todas as informações sobre a alternativa encontrada. O médico vai saber orientar se há conflito entre o tratamento convencional e o alternativo”, afirma o oncologista.

A Operação Placebo teve início a partir de denúncia recebida na Polícia Federal no Paraná. Perícia realizada no medicamento, durante a investigação, não constatou a presença da substância fosfoetanolamina.

Uma pessoa foi presa em flagrante e 160
frascos do produto foram apreendidos. A pena para quem faz a venda ilegal de produtos, com destinação medicinal ou terapêuticas, pode chegar a 15 anos.

 

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista - Chefe de Redação do Paraná Portal