Polícia identifica suspeito de desviar celulares e prende quatro por receptação

Fernando Garcel

A Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba identificou e prendeu cinco pessoas envolvidas com furto e receptação de aparelhos celulares, nesta quinta-feira (17). O suspeito de praticar os furtos era funcionário da loja de um shopping de Curitiba e teria gerado um prejuízo de R$ 130 mil

O delegado-adjunto da DFR, Emmanoel David, que coordenou os serviços de investigação que culminaram na identificação do ex-funcionário revela que o suspeito foi conduzido para a delegacia, onde admitiu ter subtraído os aparelhos. “Ele afirmou que agia sozinho e que teria lucrado aproximadamente R$ 50 mil com a venda dos aparelhos”, afirma David.

As investigações iniciaram há dois meses quando o gerente da loja notou a falta de aparelhos no estoque, foi onde formalizou o boletim de ocorrência. Ao iniciarem as investigações, os policiais logo perceberam que a pessoa que cometeu os furtos tinha amplo conhecimento da rotina do local, como também do sistema de monitoramento por câmeras e alarmes. “Foi possível concluir que o suspeito seria um funcionário, pois também sabia utilizar as chaves de acesso dos produtos. Assim, chegamos até o nome de um funcionário que acabou demitido em março deste ano”.

O ex-funcionário foi autuado pelo crime de furto qualificado, pois tinha fácil acesso aos produtos. Foi apurado ainda que ele tinha um salário mensal de R$ 1,4 mil.


Principal receptador

Ainda no curso das investigações, a polícia identificou um homem para o qual o ex-funcionário teria repassado a maior parte dos celulares furtados, ele também prestou depoimento e vai responder por receptação qualificada. Durante seu depoimento, o suspeito afirmou que conheceu o ex-funcionário através de um aplicativo de compra e venda onde ele ofertou um telefone a preço muito baixo. A partir dali o receptador comprou mais de 60 celulares.

Outros receptadores

Dentre os quatro suspeitos presos por receptação, estão a esposa e o cunhado do ex-funcionário da loja. Os dois foram flagrados utilizando aparelhos furtados. Um advogado e um policial militar também foram identificados utilizando aparelhos furtados, porém assinaram um Termo Circunstanciado por receptação culposa e foram liberados.

“Essas prisões servem de alerta à população, para que não sejam adquiridos telefones sem procedência ou origem comprovada. A orientação é para que o consumidor exija nota fiscal e fique atento quando produtos são anunciados por valores muito abaixo do praticado no mercado”, alerta o delegado.

David afirma que as investigações seguem para localizar os demais aparelhos e identificar os eventuais compradores. De acordo com as investigações, alguns telefones foram habilitados fora do Paraná. “Inúmeros aparelhos estão sendo utilizados no estado de São Paulo, no Distrito Federal e até em alguns estados do Nordeste do País”, revela.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook