Polícia investiga desabamento de prédio em Colombo

A criminalística da Polícia Civil investiga as causas que levaram ao desabamento de um prédio em Colombo, na região metr..

CBN Curitiba - 07 de julho de 2020, 11:59

Colaboração/Apartamento residencial que desabou é anexo ao prédio comercial
Colaboração/Apartamento residencial que desabou é anexo ao prédio comercial

A criminalística da Polícia Civil investiga as causas que levaram ao desabamento de um prédio em Colombo, na região metropolitana de Curitiba, na madrugada deste sábado (04).

Os engenheiros responsáveis pela obra foram intimados a comparecer na Delegacia da cidade nesta segunda-feira (06).

Por meio de nota a Polícia Civil do Paraná informa que instaurou Inquérito para investigar o ocorrido, e que as diligências já estão em curso.

As quatro pessoas feridas no desabamento receberam alta dos hospitais onde estavam internadas.

A secretaria de Estado da Saúde confirma que um homem de 29 anos e uma mulher de 25 anos, que moravam em um dos apartamentos, receberam alta do Hospital do Trabalhador, em Curitiba, na noite de sábado (4).

Duas crianças, uma de seis e outra de dez anos, deixaram o Hospital Evangélico Mackenzie no domingo (5). A mãe das crianças feridas, uma mulher de 50 anos, segue internada no Hospital Evangélico Mackenzie. Ela teve fratura na clavícula e uma luxação na cabeça, mas seu quadro segue estável, de acordo com a assessoria de imprensa do hospital.

O prédio de dois pavimentos, localizado no bairro São Gabriel, passava por reformas.

O local conta com dois apartamentos, uma academia (na parte superior), um supermercado e um estacionamento (no piso inferior), que era revitalizado para receber uma cobertura.

Uma outra família (um casal e três crianças), que estava no segundo apartamento, que não chegou a desabar, não ficou ferida.

O trabalho de remoção dos escombros teve início ainda no sábado. De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Colombo, Josmar Lima Amaral, as equipes seguem no trabalho de estabilização do que restou do prédio.

Finalizado esse processo é que as famílias vão poder retirar os pertences dos escombros.

O coordenador da Defesa Civil disse ainda que uma das famílias está na casa de familiares e a outra recebeu ajuda do proprietário do prédio.