Polícia afirma que identificou agressores de rapaz com boné do MST

Andreza Rossini

O delegado da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Luiz Alberto Cartaxo, afirmou em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (10), que suspeitos de agredirem um rapaz em frente à Casa do Estudante, em Curitiba, já foram identificados.

Todos seriam integrantes da Torcida Organizada do Coritiba, a Império Alviverde. “Foram identificados através da mídia social em torno da torcida. Ainda não sabemos as idades exatas e se eles têm passagem pela polícia porque não temos a identificação completa, já que eles usam codinomes”, afirmou o delegado.

A vítima não teria relatado a agressão devido à causas políticas. “Ele relata que estava na Casa do Estudante, local que frequenta mesmo já sendo formado. Houve um principio de confusão entre as pessoas ali [da torcida] e ele foi intervir, dizer que não era lugar de briga e, a partir de então, começou a ser agredido com chutes, socos e garrafadas”.

Ele sofreu lesões corporais e contusões. “A mais significativa foi no olho esquerdo”, disse o delegado.


Outras testemunhas relataram que ele foi agredido em meio a gritos de “Aqui é Bolsonaro”, enquanto usava uma camiseta vermelha e um boné do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST).

A polícia informou que tem três viés de investigação sobre o caso. “O de uma simples rixa de rua, ou violência característica de organizada, ou que esse fato tenha viés político. Hoje não é possível dizer com exatidão qual dessas situações será definida”, afirmou.

Segundo o delegado, o crime de torcida organizada seria o viés mais completo de investigação. “Nós já temos medidas contra torcidas organizadas no Paraná, inclusive os principais líderes da Império já foram presos”, disse.

Os suspeitos vão responder pelo crime de lesão corporal agravado por ser duas ou mais pessoas. Um inquérito será instaurado para investigar o caso.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook