Polícia pede medida protetiva de urgência para a vítima que foi agredida pelo namorado no Paraná

Ana Cláudia Freire

agressão casal santa felicidade

A delegada Márcia Rejane Vieira Marcondes, coordenadora da Delegacia Mulher, em Curitiba, abriu inquérito para apurar as agressões flagradas em vídeo por um testemunha, na manhã deste domingo (27) em Curitiba.

No vídeo, um homem visivelmente alterado, agride a socos, pontapés e esganaduras a sua namorada, dentro do carro, no bairro de Santa Felicidade.

A vítima prestou depoimento e registrou Boletim de Ocorrência na tarde desta segunda (28). O agressor também foi prestar depoimento, mas se manteve calado.

Segundo a delegada, a Polícia Civil irá expedir um Medida Protetiva, em caráter de urgência, para evitar que o agressor chegue perto ou faça contato com a vítima.

Assim que notificado, se o agressor descumprir a medida, fizer qualquer contato telefônico ou se for visto perto dela, poderá ser preso em flagrante.

O casal namorava há dois anos e meio e a vítima não deu informações sobre agressões anteriores.

A AGRESSÃO

Na manhã de domingo (27) uma moradora do bairro de Santa Felicidade, em Curitiba, testemunhou a agressão. Ela conta que ouviu gritos e pedidos de socorro vindos da rua que fica aos fundos da sua residência.

A testemunha disse que no primeiro momento o homem  agredia verbalmente a moça e a obrigava a colocar o dedo para liberar a senha do celular. As palavras eram tão agressivas que a moradora, percebendo que o agressor não iria parar,  ligou para a PM-PR (Polícia Militar do Paraná).

Ainda enquanto conversava com o policial o homem tornou-se mais violento e começou a agredir fisicamente a moça. Sozinha em casa, a testemunha começou então a filmar agressão. O homem tenta estrangular a mulher e começa a dar socos e pontapés.

Neste momento, o marido da testemunha chega em casa e a pedido dela vai tentar ajudar a moça. Infelizmente o homem alterado entra no carro e some sem dar tempo de anotarem a placa.

A moradora conta que toda a situação levou cerca de 5 minutos e que ficou em casa esperando a Polícia Militar até às 9h40, quando precisou sair para um compromisso. Até esse horário a PM não apareceu.

Preocupada a testemunha fez um apelo nas redes sociais. “Alguém conhece esse casal? Presenciei hoje pela manhã, em Santa Felicidade, uma agressão, com socos, esganaduras, ponta pés e gritos de socorro. Chamei a polícia entes das fotos mas tudo foi muito rápido e logo saíram de minha vista. Se vc for está mulher, posso ser sua testemunha! Se vcs conhecem este cara, denunciem! — em Fredolin Wolf.“, diz o post da moradora. 

 

agressão
Reprodução/Facebook

CONFIRA O VÍDEO DA AGRESSÃO:

Em nota, a Polícia Militar do Paraná informou que a viatura da PM foi ao local as 8h49 e fechou a ocorrência 8h54. Não havia mais ninguém no local.  A PM informou ainda que foram feitas rondas, mas sem a identificação da placa, ainda não foi possível chegar ao agressor.

Com a apresentação da vítima na delegacia nesta tarde, a Polícia Civil pode dar início o inquérito.

A delegada lembra que toda e qualquer agressão à mulher deve ser denunciada. ” O importante é preservar o máximo possível a figura da vítima. Qualquer informação para chegar ao agressor é muito importante. É muito importante que o agressor entenda que cometeu um crime e que não foi só uma briguinha de casal”, afirma a delegada.

O vídeo que viralizou nas redes sociais será usado como prova do crime.

 

 

 

 

 

Previous ArticleNext Article
Avatar
Jornalista - Chefe de Redação do Paraná Portal