Polícia prende homem que chantageava adolescente pela internet

Lucian Pichetti - CBN Curitiba

O Núcleo de Combate a Cibercrimes (Nuciber), da Polícia Civil, prendeu um homem de 26 anos no bairro Tatuquara, em Curitiba. Ele é suspeito de chantagear e ameaçar virtualmente uma adolescente de 16 anos.

A investigação começou em março deste ano, após o registro de Boletim de Ocorrência pela mãe da vítima. A adolescente explicou que, há cerca de dois anos, tirou uma fotografia sem roupa que, ainda não se sabe como, foi parar nas mãos do suspeito.

“A garota informou que teria produzido essa foto, mas acabou esquecendo. Essa material acabou sendo divulgado, ele conseguiu capturá-la. Ela não tinha conhecimento e não sabia quem era o rapaz e foi isso que ele usou isso como ferramenta para chantageá-la”, comenta o delegado responsável pelo caso, Demétrius Gonzaga de Oliveira.

Para não ter a imagem íntima divulgada, ela teve que encaminhar mais de uma centena de fotos. “A intenção dele, como na maioria dos casos se percebe, é a intenção de ter um encontro direto com as vítimas. Como ela se negou a fazer isso, ele continuou chantageando para conseguir mais material”, explica o delegado. “Nós temos um trabalho técnico de identificação e de rastreamento para localizar de onde partem essas conexões e quem são os responsáveis”, garante.


O rapaz será indiciado pelos crimes de estupro, com pena de 6 a 10 anos, e por adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente. A pena é de 1 a 4 anos de reclusão.

O mandado de prisão temporária, de 30 dias, foi cumprido na terça-feira (4), no local de trabalho do investigado. Também foi cumprido um mandado de busca e apreensão na residência dele. As equipes apreenderam celulares, pendrives, um tablet e um cartão de memória.

O suspeito já havia sido investigado pelo Nuciber em outro inquérito, pelos mesmos crimes. Ele foi, inclusive, denunciado pelo Ministério Público.

Maria da Penha Virtual

Na semana passada, A Câmara dos Deputados aprovou o projeto que considerada violência doméstica, com possibilidade de prisão, a exposição de cenas íntimas na internet sem consentimento. O texto, de autoria do deputado federal João Arruda, do MDB paranaense, recebeu o nome de Lei Maria da Penha Virtual.

O Projeto de Lei modifica o Código Penal Brasileiro, prevendo de três meses a um ano de reclusão, além de multa, ao infrator. Caso o crime seja cometido por motivo torpe e/ou contra pessoa com deficiência, a punição é ampliada.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook