Polícia prende suspeitos de assassinar jovem na capital

Redação


A Polícia Civil prendeu dois homens suspeitos de participarem do assassinato de Dyllan José Feitosa, 24 anos, no fim do ano passado, no bairro Tatuquara, em Curitiba. Um deles foi preso na manhã de terça-feira (16), na residência de sua mãe, suspeito de ter conduzido um veículo Kadett bordô, utilizado para dar suporte na fuga do outro rapaz – suspeito pelos disparos efetuados contra Feitosa. O suspeito pelos disparos foi preso na manhã de sábado (20/01). O jovem teria efetuado três disparos de arma de fogo contra a vítima e em seguida fugiu do local, de carona no Kadett bordô.

O crime aconteceu por volta das 11 horas de manhã, do dia 30 de dezembro de 2017, também no bairro Tatuquara. Feitosa estava em um ponto de ônibus, quando foi alvejado por três disparos de arma de fogo, que atingiram sua cabeça, costas e tórax. A vítima não resistiu as ferimentos e faleceu no local.

Conforme apurado pela equipe da 4ª DH, o crime teria sido motivado por desavenças relacionadas ao tráfico de drogas na região, já que tanto a vítima quanto os suspeitos, contam com passagens policiais por diversos crimes. “Na delegacia, ambos os suspeitos negam o crime. Entretanto, um intenso trabalho de inteligência, imagens registradas por câmeras de segurança e testemunhas levantam suspeitas contra a dupla”, afirma a delegada responsável pelo caso, Aline Manzatto.

A dupla foi indiciada pelo crime de homicídio qualificado e permanecem presos no Setor de Carceragem Temporária (Secat) da DHPP, onde aguardam à disposição da Justiça. Se condenados, podem pegar até 30 anos de prisão.

Tráfico de drogas

Durante a ação policial, a equipe da DHPP junto do Canil da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), ao realizar buscas na residência de um deles, encontrou aproximadamente 50 invólucros de maconha, prontos para serem comercializados, além de R$ 200 em dinheiro trocado. Uma mulher de 19 anos suspeita de vender drogas foi presa em flagrante pelo crime de tráfico de drogas. Ela foi encaminhada para o Setor de Carceragem Temporária (Secat) do 8º Distrito Policial (DP), onde encontra-se à disposição da Justiça.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="478030" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]