Polícia procura por mulher desaparecida em Colombo

A Polícia Civil de Colombo procura por Renata Larissa Santos, de 22 anos. Ela desapareceu no último domingo (27) à noite..

BandNews FM Curitiba - 30 de maio de 2018, 13:03

Foto: Reprodução Facebook
Foto: Reprodução Facebook

A Polícia Civil de Colombo procura por Renata Larissa Santos, de 22 anos. Ela desapareceu no último domingo (27) à noite, após receber uma mensagem no celular, quando estava em casa, e ir até um carro que a aguardava do lado de fora. Mais tarde, familiares chegaram a receber mensagens do celular dela, mas acreditam que era outra pessoa se passando pela garota. É o que relata o cunhado de Larissa, Jeferson Struziak.

"Nunca escreveu errado como foi mandado naquela mensagem. Até então nós estávamos tranquilos, a partir do momento que a mensagem chegou ficamos preocupados e começou a bater o desespero", contou.

O último sinal de GPS recebido do celular de Larissa indicava a localização na BR-376, em São José dos Pinhais, em uma área próxima a vários terrenos de mata fechada. Familiares estiveram no local e fizeram buscas, mas, nada foi encontrado.

"Foi lá na BR-376. O irmão dela, os primos e tios com o apoio da PM fomos lá e buscamos o celular, mas não encontramos e ficamos de mãos atadas", disse.

O desaparecimento está sob investigação da Delegacia do Alto Maracanã, que ainda não tem pistas sobre o paradeiro de Larissa.

Semelhança com caso Andrielly

O caso chama a atenção pela semelhança com o de Andrielly Gonçalves, também de 22 anos. A estudante de Direito, também moradora de Colombo, sumiu na madrugada de 9 de maio. Familiares também receberam mensagens do celular dela mas dizem ter certeza que foram escritas por outra pessoa. O ex-marido da universitária, o policial militar Diogo Costa Coelho, foi preso, apontado como o responsável pelo crime.

Apesar de Andrielly ainda não ter sido encontrada, as chances de que ela esteja com vida são muito pequenas, de acordo com a própria Polícia Civil. Câmeras de segurança em frente ao condomínio onde ela morava mostraram Diogo saindo com Andrielly pouco depois das 3 horas da madrugada, cerca de duas horas após ela desaparecer. Ele retorna ao local sozinho, as 9 horas da manhã.

Dentro do carro do pm foram encontrados vestígios de sangue por toda a parte, principalmente no porta-malas. O advogado do policial declarou que o cliente é inocente e que as marcas de sangue são em decorrência da endometriose que Andrielly tinha – uma doença que tem, como um dos sintomas, alterações no fluxo menstrual.