Policiais científicos ameaçam limitar serviço após reajuste dado pelo Governo

O Sinpoapar ameaça limitar o serviço prestado pelos policiais científicos em caso de manutenção do reajuste salarial sancionado pelo Governo do Estado.

Redação - 01 de abril de 2022, 19:31

Gilson Abreu/AEN
Gilson Abreu/AEN

O Sinpoapar (Sindicato dos Peritos Oficiais e Auxiliares do Paraná) emitiu nota nesta sexta-feira (1º) em que ameaça limitar o serviço prestado pelos policiais científicos em caso de manutenção do reajuste salarial sancionado pelo Governo do Estado.

O sindicato chamou as medidas de 'Operação Cumpra-se a Lei' e afirmou que a decisão foi aprovada em assembleia de classe.

"Em razão do desrespeito aos policiais científicos demonstrada pelo Governador do Estado do Paraná (Ratinho Junior), que enviou os projetos de lei sem o conhecimento desta entidade de classe, o Sinpoapar, representando toda a categoria, declara a deflagração da Operação Cumpra-se a Lei", declarou o sindicato em nota.

Confira abaixo as medidas que serão adotadas pelos policiais científicos em todo Paraná:

  • Entrega dos cargos das chefias de seção, unidade e assessoramento serão feitas apenas após um novo reajuste;
  • Realização de manifestações, com material gráfico contra o governador Ratinho Junior;
  • Devolução de todo passivo de exames periciais não realizados e designados acima da capacidade de trabalho dos servidores;
  • Não realização da extra jornada remunerada;
  • Atendimento de acionamentos de local apenas de acordo com o Código de Processo Penal;
  • Liberação de corpos apenas após identificação oficial;
  • Necropsia e liberação de corpos apenas após cumprimento de processo burocrático;
  • Sem atendimento em locais que não ofereçam segurança, sem a disponibilização de coletes à prova de balas ou em viaturas inadequadas;
  • Não utilizar equipamentos e produtos fora do prazo de vencimento ou descalibrados, deixando de usar também materiais próprios para as perícias;
  • Realizar somente atividades previstas no perfil profissiográfico;

"Todas essas ações previstas serão realizadas até que um novo projeto seja enviado para a Assembleia Legislativa, e que represente um verdadeiro reconhecimento e valorização da Polícia Científica, responsável pela materialização da prova pericial", finalizou o sindicato na nota.

Procurada pela reportagem, a SESP/PR (Secretaria de Estado da Segurança Pública do Paraná) não respondeu aos questionamentos antes do fim da reportagem.

LEIA MAIS: PR-412: duplicação entre Guaratuba e Garuva entrará em estudo