Policiais negam que torcedor do Paraná foi pisoteado por cavalos

Mauro Machado Urbim era presidente da torcida Fúria Independente. O caso ocorreu no intervalo da partida entre o Tricolor e o Cascavel, no sábado (30).

Johan Gaissler - 03 de agosto de 2022, 13:00

Foto: Divulgação/Torcida Fúria Independente
Foto: Divulgação/Torcida Fúria Independente

Policiais da cavalaria da PMPR (Polícia Militar do Paraná) negaram a informação que o torcedor do Paraná Clube, morto na última segunda-feira (1), tenha sido pisoteado por animais da corporação.

Mauro Machado Urbim era presidente da torcida organizada Fúria Independente. O caso ocorreu no intervalo da partida entre o Tricolor e o Cascavel, realizada no sábado (30), pela Série D do Campeonato Brasileiro.

"Nove policiais estavam montados e dois davam apoio. Conversei com todos e nenhum observou que o seu animal pisou em torcedores", disse o major Caciatori, da PMPR.

A informação é divergente dos torcedores que estavam na região da Vila Capanema, em Curitiba. "Sem qualquer necessidade, de forma truculenta e covarde, a Polícia Militar, com o seu Regimento de Polícia Montada, pisoteou o nosso presidente Mauro Machado Urbim", diz trecho da nota publicada pela Fúria no domingo (31).

Segundo o comandante-geral da PM, coronel Hudson Leôncio Teixeira, três versões do caso chegaram às autoridades:

  • Cavalaria teria atuado para dispersar torcedores e atingiu Mauro - algo negado por policiais que trabalharam na partida
  • Mauro corria em uma suposta confusão entre as duas torcidas e caiu atingindo a cabeça - algo negado pelas torcidas de Paraná e Cascavel
  • Mauro teria caído de uma região alta ao tentar tirar uma bandeira do Paraná Clube

O comandante pediu, ainda, que testemunhas do caso enviem imagens à Polícia Militar. "Não estamos nos isentando de nenhuma responsabilidade. O momento é de respeito à família e à memória de Mauro Machado Urbim", finaliza Hudson.

O laudo de necrópsia ainda não foi concluído pela perícia do caso. O exame traz detalhes sobre o ferimento que ocorreu na região na cabeça do torcedor.

MORTE DE TORCEDOR DO PARANÁ CLUBE

Mauro Machado Urbim teria sido pisoteado por um cavalo da Polícia Militar no intervalo da partida entre Paraná Clube e Cascavel, no sábado (30), pela segunda fase da Série D do Campeonato Brasileiro.

Em nota oficial divulgada após o caso, a Polícia Militar do Paraná afirmou que houve uma tentativa de invasão de torcedores no setor visitante da Vila Capanema por cerca de 80 torcedores da Fúria Independente, torcida organizada do Paraná Clube. Tanto a torcida paranista quanto a torcida do Cascavel negaram essa informação da PMPR.

"Após repelir a ação, os policiais constataram dois torcedores caídos, em que um deles imediatamente levantou e o outro permaneceu desacordado. Imediatamente foram prestados os primeiros socorros de urgência, e acionado o Corpo de Bombeiros, que prontamente deu continuidade ao atendimento e encaminhou o ferido ao Hospital do Trabalhador", diz parte da nota.

Em entrevista ao Paraná Portal, o delegado Luiz Carlos de Oliveira, da Demafe (Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos), afirmou que um inquérito foi aberto e será concluído em 30 dias. "As investigações vão ser iniciadas e posteriormente vão concluir o inquérito em 30 dias", disse.

No caso de confirmação de morte por ação policial pelo laudo médico de necrópsia, será aberto um inquérito policial militar.