Policial civil é preso por facilitar contrabando no Paraná

Andreza Rossini


O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) prendeu, nesta quarta-feira (29), um policial civil acusado de cobrar propina para permitir que pessoas com produtos contrabandeados pudessem acessar a cidade de Ubiratã, no centro-oeste do Paraná.

A atuação começou no Ministério Público de Cascavel, também no oeste do estado. O policial é suspeito de cobrar, mensalmente, R$ 4 mil dos compristas. O Gaeco investiga o envolvimento de mais pessoas no esquema.

O policial foi preso em um posto de combustíveis na BR-369, em Ubiratã, quando iria receber R$ 2 mil de uma das vítimas, a responsável por acionar o Gaeco. Ele atuava no município desde 2014 e foi encaminhado à sede do Ministério Público de Cascavel. Uma arma foi apreendida na ação.

O Gaeco ainda apura o envolvimento de outros dois policiais no caso.

Previous ArticleNext Article