Assaltos à luz do dia assustam Alto da XV

Roger Pereira

Por Francielly Azevedo /CBN Curitiba

Os moradores e comerciantes da rua Rodrigo Otávio, entre a Rua Itupava e Professor Brandão, no Alto da XV, estão assustados com o grande número de assaltos na região. Na manhã desta terça-feira (6), um médico sofreu uma tentativa de sequestro relâmpago, enquanto chegava para trabalhar. Ele foi abordado em frente ao consultório por dois homens armados. Os bandidos conseguiram levar apenas o carro dele.

“Foi abaixar a cabeça e, ao olhar para fora e já estavam abordando ele. Tinha um puxando ele pelo pescoço e outro tentando colocar entre ele no carro. Saímos correndo do escritório o que, acho que, de certa forma, intimidou os ladrões, que entraram no carro e saíram”, conta uma testemunha.

A reportagem da CBN esteve no local, conversou com moradores, que por medo preferem não se identificar. Os relatos são muitos. Seu Narciso, que pediu para não divulgar o sobrenome, trabalha e tem uma residência na Rua Rodrigo Otávio. Ele foi assaltado no último dia 17 de fevereiro, por volta das 11h30.


“Estava saindo do trabalho, dois caras desceram e me pegaram com o revólver. Me colocaram o revolver na testa e pediram chave do carro, mas eu não tinha. Então levaram meu celular, desceram uma quadra e já tomaram de assalto o carro de uma senhora. Era 11h28 de manhã. Imagina à noite como é isso aqui, com algumas lâmpadas que não estão funcionando ainda por cima”.

Muitas das pessoas que moram ou trabalham por ali mudaram a rotina por causa do medo. É o que conta a funcionária da clínica em que o médico assaltado atende. “A gente se sente totalmente insegura, semana passada entraram na clínica aqui na frente, às 7h da manhã, entraram de bicicleta e levaram tudo o que conseguiram”.

O seu Narciso mora há 28 anos na região e disse que nem sempre foi assim. “Antigamente era trnaquilo, foi depois que inaugurou o shopping aqui que chegou a bandidagem. No dia que me assaltaram a polícia até que chegou rápido, mas fizeram buscas e não encontraram nada”.

Segundo os moradores, a falta de policiamento fez com que eles se mobilizassem para instalar câmeras de monitoramento no local. Mesmo assim, isso não inibiu as ações dos assaltantes.

“Muito raramente há um carro de polícia que passa voando aqui, mas o policiamento é nota zero. A gente fez aquele programa vizinho solidário e, por isso, temos as imagens das câmeras, mas não tem mais nenhuma ação de segurança aqui”, disse a funcionária da clínica.

A reportagem da CBN Curitiba entrou em contato com a assessoria de imprensa da Polícia Militar para saber sobre o patrulhamento na região do Alto da XV. Mas até o fechamento desta reportagem não teve retorno.

Post anteriorPróximo post
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal
Comentários de Facebook