Poliomielite: com cobertura vacinal de 74%, Paraná ainda está longe da meta

Redação

poliomielite, pólio, vacina contra pólio, vacina contra poliomielite, campanha naciona de vacinação contra a poliomielite, sesa, secretaria de estado da saúde, vacina, imunização

O Paraná precisa imunizar cerca de 160 mil crianças de 12 meses a cinco anos para atingir a meta de vacinas contra a pólio. A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite segue até 30 de novembro.

A ação começou no dia 28 de setembro e precisou ser prorrogada devido à baixa procura.

A vacina contra a pólio faz parte do Calendário Nacional de imunização e está incluída na rotina dos postos de saúde, mas é importante que as crianças sejam vacinadas neste momento para que o estado tenha homogeneidade na imunização.

“Uma cobertura vacinal maior e homogênea das crianças neste momento é fundamental. Vivemos a pandemia da Covid-19, com números elevados; mas temos por outro lado as vacinas disponibilizadas pela rede estadual e que protegem contra várias outras doenças, como a pólio, que é a paralisia infantil”, afirmou o secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto.

O secretário reforçou ainda que a vacina é a única forma de prevenção contra poliomielite.

A doença é contagiosa, aguda e grave. As sequelas da poliomielite estão relacionadas à infecção da medula e do cérebro pelo poliovírus; as principais são: paralisia de membros inferiores ; problemas e dores nas articulações; paralisia dos músculos da fala e da deglutição, atrofia muscular e osteoporose, entre outros.

O Paraná não registra casos de poliomielite desde 1.986 e o Brasil teve o último caso em 1.989. “Mas, temos o vírus ainda circulando em outras partes do mundo e sabemos que, caso não haja uma cobertura efetiva as crianças, o risco de contaminação é iminente”, disse diretora de Atenção e Vigilância em Saúde, Maria Goretti David Lopes.

VACINA CONTRA A POLIOMIELITE: COBERTURA ABAIXO DA META

O Paraná tem, até o momento, cobertura vacinal de 74,63%, o que representa 583.962 crianças imunizadas.

“Precisamos chegar a um índice de 95% para termos a segurança de que as crianças paranaenses estão realmente protegidas, por isso fazemos um apelo aos pais que levem os filhos aos postos para garantirmos a prevenção de todos” explicou a chefe do Programa Estadual de Imunização, Vera Rita da Maia.

*Com informações da Sesa

Previous ArticleNext Article