População faz “vaquinha” para comprar arma para a polícia

Vanessa Fernandes - CBN Curitiba

O Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) do município de Pitanga, na região central do Paraná, a 340 quilômetros de Curitiba, junto com a comunidade, fez uma “vaquinha” e conseguiram comprar quatro fuzis para reequipar a Polícia Militar da cidade.

A PM estava sem as armas, que anteriormente eram apenas dois fuzis, depois que uma quadrilha explodiu caixas eletrônicos em março de 2018. De acordo com o presidente do Conseg de Pitanga Cícero Aparecido Barbosa, as armas foram recolhidas para perícia, após o crime, uma praxe nos procedimentos da polícia civil que investiga o caso.

Logo depois que teve o assalto, no ano passado, no dia 19 de março, a gente viu que a polícia estava sem armamento, então chamamos uma reunião na OAB, com juiz, promotor, prefeito, sindicato e a população para a gente ver um meio para comprar armaamento para a polícia. Aí os agricultores da região doaram dinheiro para dois fuzis, o próprio presidente do sindicato doou para mais um e um empresário, que não quis se identificar contribuiu com o quarto fuzil”.

Na situação registrada em Pitanga em março, três suspeitos morreram. Ainda não há previsão de prazo para devolução das armas para a corporação. Segundo Cícero Barbosa, além da ajuda da comunidade com a compra dos quatro fuzis, o comando da Policia Militar emprestou uma arma para o posto da cidade. “Esse armamento vai para a perícia. Foi para Curitiba e, até agora, não foi devolvido”.


Entre a comunidade, foram arrecadados cerca de R$ 33 mil, que foram usados para a compra dos fuzis.

De acordo com Barbosa, a aquisição das armas foi feita pela própria PM, já que apenas autoridades policiais podem ter acesso a esse tipo de armamento.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook