Possível armamento usado em chacina do Portão é apreendido em SC

O delegado Thiago Nobrega, responsável pela investigação da chacina no Portão, confirmou que existem suspeitas que as armas foram utilizadas na ação

09 de fevereiro de 2022, 09:39

Divulgação/PRF
Divulgação/PRF

O possível armamento utilizado na chacina no bairro Portão que terminou com quatro pessoas mortas, entre elas duas crianças, em Curitiba, foi apreendido em Santa Catarina. A informação é da BandNews Curitiba.

As armas foram localizadas ontem (8) em um veículo na BR-101 em Araquari, próximo à Joinville. Segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o motorista do carro não obedeceu a uma ordem de parada dada pelos policiais e fugiu em alta velocidade. Em seguida, o veículo saiu da pista, e o motorista e o passageiro saíram correndo às margens da rodovia em direções opostas.

Um deles, menor com 15 anos, foi alcançado e apreendido. O outro homem não foi localizado até este momento. Conforme a PRF, o veículo tem registro de furto/roubo em Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba e estava circulando clonado, com placas falsas de outro carro de mesmas características.

Dentro do veículo, foram localizadas duas pistolas Glock calibre 9mm, sete carregadores e 114 munições. À BandNews FM, o delegado Thiago Nobrega, responsável pela investigação da chacina no Portão, confirmou que existem suspeitas que as armas foram utilizadas na ação.

O armamento deve passar por uma perícia. Além disso, o delegado informou que o adolescente apreendido já foi liberado e não confirmou nenhuma ligação com o crime do Portão.

ATENTADO NO BAIRRO PORTÃO, EM CURITIBA

O atentado no bairro Portão, em Curitiba, foi registrado na noite de segunda-feira (7), na Rua Pinheiro Guimarães. De acordo com a PMPR (Polícia Militar do Paraná), as vítimas saíram de Campo Largo, na Região Metropolitana de Curitiba, de carro, um Fiat/Pálio, sentido bairro Portão. Em uma rua do bairro, estacionaram o veículo, que foi atingido por diversos disparos instantes depois.

Dentro do automóvel estavam sete pessoas: quatro adultos e três crianças. Morreram no local da chacina do Portão Anderson Olimpio Bueno Miranda, Bruna Bispo Dias e uma criança. Outro menor entrou em óbito logo após dar entrada em uma unidade hospitalar da Capital. Outro casal que estava no carro foi encaminhado para um pronto-socorro com ferimentos moderados e um bebê, de sete meses, foi entregue à assistência social. 

Para a polícia, foi informado que o casal e as crianças estavam no município vizinho quando solicitaram carona até o bairro de Curitiba. "Quando chegaram na região, o indivíduo que faleceu estava no telefone com um suposto amigo dele, informando a localidade que eles estavam. Nesse meio tempo, eles estacionaram, o veículo com os atiradores emparelharam e efetuaram diversos disparos", detalhou Tozetti.

Horas depois, um carro com as mesmas características do que foi usado pelos atiradores foi encontrado incendiado no bairro Campo Comprido. A polícia acredita que seja o mesmo veículo usado na chacina no bairro Portão. A principal linha de investigação do crime é uma guerra entre facções, disse a PCPR (Polícia Civil do Paraná).