Preço da cesta básica ficou mais barato em Curitiba, aponta Dieese

Redação e Bruno Bocchini - Repórter da Agência Brasil

cesta básica, curitiba, paraná, inflação, aumento, preço, alimentação, custo, covid-19, coronavírus

O preço da cesta básica diminuiu em Curitiba no mês de outubro, de acordo com levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), divulgado nesta sexta-feira (6). Segundo o órgão, o valor da cesta básica na capital paranaense apresentou queda de 0,60% em relação ao levantamento anterior, com o valor de R$ 521,12.

Além de Curitiba, apenas Salvador também apresentou queda no valor da cesta básica (1,05%) entre as 17 capitais pesquisas pelo Dieese. As outras 15 capitais apresentaram elevação nos preços.

O tomate e a batata apresentaram queda e ajudaram a baratear o preço da cesta básica curitibana: o preço da batata na cidade caiu 6,67%, enquanto o tomate ficou 5,18% mais barato.

Segundo o levantamento, os maiores preços da cesta básica foram encontrados em São Paulo (R$ 595,87), Rio de Janeiro (R$ 592,25), Florianópolis (R$ 584,76) e Porto Alegre (R$ 581,39). Os menores, em Natal (R$ 436,76) e Aracaju (R$ 442,26).pastedGraphic.pngpastedGraphic.png

O valor do óleo de soja e do arroz agulhinha aumentou em todas as capitais pesquisadas, com destaque para Brasília, que registrou elevação de 47,82% no óleo e de 37,05% no arroz.

O preço médio da carne bovina aumentou em 16 capitais – em Curitiba, a variação foi de 0,50 %. Conforme o Dieese, a baixa disponibilidade de animais para abate no campo e a demanda externa elevada resultaram em aumentos de preço.

Com base na cesta mais cara, registrada em outubro em São Paulo, o Dieese estima que o salário mínimo necessário deveria ser equivalente a R$ 5.005,91, o que corresponde a 4,79 vezes o mínimo vigente, de R$ 1.045,00. O cálculo é feito levando em conta uma família de quatro pessoas, com dois adultos e duas crianças.

Previous ArticleNext Article