Preço da gasolina recua, mas segue próximo a R$ 7 em Curitiba

Em alguns postos da Capital o litro da gasolina é comercializado nesta terça (28) a R$ 6,79; valor nas bombas pode cair ainda mais com a redução no ICMS.

Rafael Nascimento - 28 de junho de 2022, 10:34

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil

O preço da gasolina recuou em Curitiba e região nesta semana, após o governo federal zerar a carga tributária sobre os combustíveis. Com a redução nos impostos, o insumo apresentou queda de R$ 0,68 por litro, além de R$ 0,24 no valor do etanol.

A Lei Complementar que zerou os impostos PIS, Cofins e Cide entrou em vigor na última sexta-feira (24), e a redução nas bombas já é sentida pelos consumidores. Nesta terça (28), a grande maioria dos postos da Capital já praticam preços abaixo dos R$ 7.

Em alguns postos, o litro da gasolina é comercializado a R$ 6,79. Já o valor do etanol pode ser encontrado a R$ 5,32 em alguns postos de Curitiba.

A queda nas bombas é substancial se comparada aos valores praticados há 10 dias, quando a gasolina chegou a R$ 7,50 em alguns estabelecimentos, após o último reajuste anunciado pela Petrobras, de 5,2% no preço da gasolina e de 14,2% no valor do diesel.

O Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lojas de Conveniências do Estado do Paraná (Paranapetro) confirmou que a tendência de baixa de preços no mercado, já notada na gasolina e etanol, é reflexo da redução dos impostos federais. Conforme o sindicato, as distribuidoras, de uma maneira geral, começaram a repassar gradualmente aos postos as alíquotas zeradas nos tributos federais.

Já a redução no ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que pode baixar ainda mais o valor final dos combustíveis, depende de regulamentação do Governo Estadual. O Congresso Nacional aprovou mudanças na cobrança do imposto estadual energia, combustíveis, transportes e comunicações, que passam a ser tratados como bens e serviços essenciais, fixando as alíquotas em 18%. Por hora, o  único estado brasileiro que já colocou em vigor a normativa foi São Paulo.

No Paraná, a redução deve gerar um rombo nas contas estaduais. A estimativa da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) é de uma perda de receita de R$ 6,33 bilhões, das quais R$ 2,04 bilhões em combustível e R$ 2,07 bilhões em energia elétrica.