Prefeita em exercício pede levantamento de contas de Foz do Iguaçu

Andreza Rossini


A prefeita em exercício de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, Ivone Barofaldi (PSDB), que assumiu o cargo após a prisão do prefeito afastado do cargo Reni Pereira (PSB), pediu um levantamento sobre a situação financeira do Município, para a Secretaria da Fazenda.

O anúncio foi feito nesta sexta-feira (15) e o pedido deve ser concluído até terça-feira (19). Reni Pereira é suspeito de liderar um esquema que desviou R$ 5 milhões da administração municipal. De acordo com os investigadores, este é o maior esquema de corrupção da cidade.

PF prende prefeito de Foz do Iguaçu em investigação sobre desvios no PAC

Ivone assumiu a prefeitura logo após a prisão de Reni, na manhã de quinta-feira (14). Ela afirmou que só vai tomar as providências necessárias na administração municipal após receber as informações solicitadas. De acordo com a prefeita em exercício, a prioridade é saúde. Ivone vai participar de uma reunião na Secretaria de Estado da Saúde, em Curitiba, na próxima segunda-feira (18).

Prisão de Reni

O prefeito de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, Reni Pereira (PSB) foi preso pela Polícia Federal (PF) durante a deflagração da 4ª fase da Operação Pecúlio, nesta quinta-feira (14).Em nota, a PF informou que cumpriu determinação judicial de afastamento imediato de Reni do cargo público e ele passa a cumprir prisão domiciliar. A ordem foi expedida pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre (RS), onde o político responde em segunda instância aos processos referentes a Operação Pecúlio. Na primeira fase da operação, Reni Pereira foi alvo de condução coercitiva a a PF apreendeu cerca de R$ 120 mil na residência do prefeito, além de bloquear os bens dele e de outros envolvidos.

Além do prefeito, mais de 80 pessoas também são réus no processo, entre eles a primeira-dama e deputada estadual Cláudia Pereira (PSC), eles respondem por crimes de peculato, corrupção passiva, corrupção ativa e fraude a licitações. Reni e a esposa são investigados pelo TRF-4 por ter foro privilegiado.

Previous ArticleNext Article