Prefeitura de Matinhos vai recorrer de ação do MP sobre construção de megaempreendimento

William Bittar - CBN Curitiba


Alegando que a área não é um parque ambiental e que o Município apenas teve a intenção de criá-lo, a Prefeitura de Matinhos, no Litoral do estado, afirmou que vai recorrer da ação movida pelo Ministério Público do Paraná (MPPR) para suspender a tramitação do projeto de lei que vai alterar o zoneamento de uma área na Avenida Juscelino Kubistchek de Oliveira que dará lugar a um megaempreendimento na cidade.

O MPPR alega que o espaço é uma área de conservação ambiental de 31 mil metros quadrados, composta por 25 tipos de árvores nativas e que serve de morada para diversas espécies da fauna local e afirma que não há interesse público na alteração que se pretende fazer no Plano Diretor de Matinhos, além de haver alternativas para a instalação do empreendimento, como explicou à CBN Curitiba o ambientalista Aristides Athayde, vice-presidente do Observatório de Justiça e Conservação.

“Não existe o menor sentido em se comprometer esse remanescente para a instalação de um empreendimento comercial. Sou favorável a empreendimentos que gerem emprego e renda, mas não em um parque. Existem outros locais, não imóveis que o empreendedor pode comprar ao invés de construir em um local que é de todo mundo”, afirmou.

A administração municipal discorda e aponta que hoje a área é utilizada de forma irregular, sendo um lugar propício à criminalidade, afetado com o acúmulo de lixos e depósito de entulhos, colaborando, inclusive, para um possível criadouro do Aedes Aegypti.

Outro apontamento feito pela prefeitura é de que a construção irá oferecer, diretamente, 150 novas vagas de emprego e fomentar a economia do município.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="537373" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]