Prefeitura nega alvará que empresa pediu dois dias após explosão em apartamento

BandNews FM Curitiba

apartamento que explodiu prédio explosão curitiba água verde raquel lamb matheus lamb gabriel arajúo caio santos impeseg

A empresa de impermeabilização envolvida na explosão de um apartamento no bairro Água Verde, em Curitiba, teve o pedido de alvará negado pela prefeitura da capital. A licença foi solicitada pela Impeseg dois dias após o acidente, que matou um menino de onze anos e deixou duas pessoas gravemente feridas, no dia 29 de junho.

Embalagens adulteradas são encontradas em empresa investigada por explosão em apartamento
Após explosão em prédio, prefeito de Curitiba proíbe químicos inflamáveis em ambientes fechados

A solicitação era para abertura de um escritório no bairro Xaxim e está em nome de uma das donas da empresa, que já funcionava no endereço que consta no pedido, embora o registro na Secretaria Municipal de Urbanismo nunca tenha sido feito. Há mais de uma semana, funcionários da Impeseg têm prestado depoimento à Polícia Civil. Ao delegado Adriano Chohfi, que conduz as investigações, eles já chegaram a dizer que não sabiam que os produtos com os quais trabalhavam eram inflamáveis e que o material já chegou a embarcar em um avião como refrigerante.

Câmera registra momentos antes e depois da explosão de apartamento em Curitiba

Além disso, que embalagens de shampoos eram usadas para armazenar produtos perigosos. Os transportadores também eram informados que iriam levar produtos que não apresentavam riscos de explosão. Segundo o advogado que representa os trabalhadores, Leandro Veloso, o procedimento era realizado para reduzir custos.

No pedido de alvará, a prefeitura justificou a recusa por causa das características da atividade, que implicaria em manter equipamentos no ambiente e extrapolaria o serviço de escritório.

Previous ArticleNext Article
Avatar
em 20 minutos tudo pode mudar