PRF abordou 118 ônibus, apreendeu facões e enxadas e prendeu um

Andreza Rossini


A Polícia Rodoviária Federal (PRF) abordou, entre o final da manhã de terça-feira (9) e as 8h30 desta quarta-feira (10), 118 ônibus que transportavam manifestantes que participam de atos a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Curitiba.

As abordagens ocorreram nas BRs 116, 277, 376 e 476, na região metropolitana de Curitiba. A maioria dos veículos foi abordada na BR-116 (Rodovia Régis Bittencourt), entre São Paulo (SP) e Curitiba e na BR-277, entre Ponta Grossa (PR) e a capital do estado.]

Do total de 118 ônibus abordados, apenas um foi retido, por uma série de irregularidades. O veículo, que saiu de Bauru (SP) com 38 manifestantes pró-Lula, não tinha autorização da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). A aferição do tacógrafo também estava vencida e o veículo não tinha sinalização das saídas de emergência, entre outros problemas.

Nenhum manifestante foi barrado. Todos chegaram ao destino, inclusive os do único ônibus retido. O veículo foi escoltado pela PRF até a Estação Rodoferroviária de Curitiba. Na sequência, após o desembarque dos passageiros, o ônibus voltou para o pátio da Unidade Operacional São Luiz do Purunã da PRF.

Cabe à empresa contratada substituir o veículo para garantir o retorno dos manifestantes.

Facões e enxadas
Ainda na terça-feira (09), facões, enxadas e outras possíveis armas brancas foram apreendidas na chegar a Curitiba para acompanhar o depoimento de Lula.
Segundo o secretário estadual de Segurança Pública do Paraná, Wagner Mesquita de Oliveira, o material não é condizente com manifestações pacífica: “a polícia está pronta para dar o apoio que for necessário, para garantir uma manifestação democrática”.
Integrantes do Movimento dos Sem Terra (MST), rebatem as acusações. O MST argumenta que os objetos apreendidos são utensilhos comuns usados pelos militantes para cozinhar e na montar as barracas.

 

 

Fiscalização

Esse trabalho de fiscalização, que tem o apoio da Polícia Militar do Paraná, visa garantir inclusive a segurança dos próprios manifestantes e coibir o transporte irregular de passageiros, que pode provocar acidentes graves e de grandes proporções. A operação da Polícia Rodoviária Federal continua em andamento, até sexta-feira (12). O efetivo da PRF na região de Curitiba conta com reforços vindos do interior do Paraná e de estados vizinhos.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="430222" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]