Após surgimento de coronavírus, busca por máscaras e álcool aumenta em Curitiba

Leonardo Gomes - BandNews FM Curitiba

alcool gel - prevenção - coronavirus

A procura por máscaras cirúrgicas e frascos de álcool em gel têm aumentado em Curitiba desde o surgimento dos primeiros casos de coronavírus, na China, em meados de janeiro e também da confirmação do primeiro caso no Brasil. Os produtos tem praticamente desaparecido de farmácias da cidade.

Em algumas unidades, todo o estoque do mês foi vendido em apenas dois dias. Em uma unidade no bairro Rebouças não há mais máscaras no estoque. A farmacêutica Flavia Kato conta que as últimas unidades foram vendidas de uma só vez, cerca de 300.

“Já teve situações de ‘vou comprar 10 máscaras’. E, nessa última venda que veio, uma pessoa comprou seis caixas. E eu até perguntei se ela estava enviando para fora e ela disse que sim”, disse Kato.

As mascaras só podem ser vendidas em caixas, cada uma com 50 unidades. A gerente de uma farmácia no Centro de Curitiba, Isabel Kubota, conta que com o aumento da procura pelas máscaras cirúrgicas há um temor para alta no preço dos produtos.

Não há previsão de reposição das máscaras, principalmente as do modelo mais comum. Já o álcool gel ainda é encontrado nas farmácias. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), não há necessidade de se fazer uso indiscriminado de máscaras médicas.

SESA DIZ QUE NÃO HÁ RAZÃO PARA PÂNICO EM CURITIBA

Segundo a diretora de Atenção de Saúde da Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), Maria Gorete Lopes, não há razões para pânico e correria atrás de máscaras e outros utensílios de higiene. O alerta é para que a população faça a higiene correta das mãos para evitar a contaminação.

No Brasil, além do caso confirmado do novo coronavírus em São Paulo, outros 20 são considerados suspeitos. Em todo o mundo as confirmações da doença ultrapassam a marca de 80 mil, com mais de 2.700 mortes. A infecção está presente em pelo menos 43 países.

Previous ArticleNext Article