Professores decidem se suspendem greve

Uma assembleia de professores da rede estadual de ensino no ExpoUnimed, em Curitiba, decide se aceita ou não a proposta ..

Redação - 22 de outubro de 2016, 11:50

Uma assembleia de professores da rede estadual de ensino no ExpoUnimed, em Curitiba, decide se aceita ou não a proposta feita pelo governo do Paraná, de retirar a emenda ao projeto de lei que adiaria o reajuste do funcionalismo estadual, previsto para janeiro.

A APP-Sindicato colocou como condição para o diálogo a retirada da emenda do projeto de lei que suspendeu a promessa de reajuste que terminou com a greve do ano passado. O acordo era que o governo pagaria a reposição inflacionária, acrescida de 1%, no início de 2017.

O govenro do Estado se comprometeu a suspender a tramitação do projeto na Assembleia Legislativa, mas disse que teme não ter dinheiro em caixa para honrar o compromisso e queria adiar o reajuste.

Uma assembleia no dia 12 de outubro decidiu pela greve, que começou na segunda-feira (17). Ônibus com caravanas de várias partes do Paraná vieram a Curitiba. A assembleia começou às 9h.

Policiais

Mesmo com a decisão do governo estadual de retirar de tramitação o projeto que suspende o reajuste salarial dos servidores públicos, os policiais civis do Paraná vão continuar em greve. O fim da paralisação do funcionalismo público é condição essencial para o acordo. A proposta do executivo foi dada na quinta à tarde. Professores, funcionários da Educação e Policiais Civis paralisaram as atividades na última segunda-feira (17).

Para o sindicato que representa os policiais civis, a paralisação continua porque existem outras reivindicações. Entre elas estão a reposição dos coletes à prova de balas, o aumento do efetivo e o fim do desvio de função, quando o policial precisa cuidar dos presos em delegacias.

O chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, declarou que o acordo foi tratado com o Fórum das Entidades Sindicais do Paraná, que reúne 22 sindicatos. No entanto, o Sinclapol alega não fazer parte desse grupo. Por este motivo, não participou da reunião desta quinta-feira e aguarda uma negociação com o governo estadual.

Com BandNews FM Curitiba