Professores de Fazenda Rio Grande protestam contra promoções em atraso com ‘Operação Tartaruga’

Estelita Hass Carazzai - Folhapress


Depois de protestos, professores de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba, vão se reunir amanhã com a Secretaria da Educação do município para discutir as reivindicações da categoria. Os docentes começaram uma Operação Tartaruga hoje, contra o atraso no pagamento de promoções e auxílios pelo município.

Eles também pedem a implementação da hora-atividade nas escolas. Alguns professores dizem que estão com promoções e progressões de carreira em atraso há até cinco anos, como conta a presidente da APP Sindicato no Núcleo Metrosul, Simone Barbosa. “Estamos propondo uma mesa de negociação. O que a gente quer é conversar, um diálogo. As professoras e funcionários estão desanimados por conta dessas pautas que não estão sendo cumpridas. Isso mostra descaso”, disse.

Os protestos devem se estender ao longo de toda a semana. Eles ocorrem sempre no início do horário letivo, de manhã e à tarde, durante cerca de uma hora e meia.

Durante as manifestações, as aulas nas escolas e creches municipais estão suspensas. O secretário de Educação de Fazenda Rio Grande, Ednelson Queiroz Sobral, diz que a prefeitura quer abrir o diálogo na reunião desta terça. Segundo ele, parte das reivindicações da categoria, como a implementação da hora-atividade, já está sendo atendida.

“Tudo é possível negociar. A secretaria e a gestão de Fazenda Rio Grande não são autoritárias, a gente é bastante democrático”, disse. “Das quatro pautas, duas delas estão praticamente satisfeitas. A gente tem que ver o que exatamente eles querem, com base em números, para a gente fazer uma análise dentro do orçamento municipal para ver o que é possível”.

O secretário reconhece, porém, que dificuldades financeiras impediram o município de cumprir promoções e progressões dos professores. “Os limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal impediram que o município pagasse as progressões. Quando o município atinge 95% de gastos com pessoal, já existem vedações”, explica.

A categoria irá se reunir com o secretário às 10 horas da manhã desta terça-feira. O município promete repor as horas de aula perdidas com a manifestação. Cerca de 15 mil alunos estudam no sistema municipal de Fazenda Rio Grande.

Previous ArticleNext Article