Professores ocupam sede do governo estadual

Narley Resende


Um grupo de professores e funcionários da Rede Estadual de Ensino do Paraná ocuparam no fim da manhã desta segunda-feira (18) o salão principal do Palácio Iguaçu, sede do governo do Estado, no Centro Cívico, em Curitiba. Cerca de cem professores começaram um protesto contra redução do salário para o cargo de novos profissionais temporários, contratados pelo regime de Processo de Seleção Simplificado (PSS), anunciada pelo governo para 2018.

Após a ocupação, as portas do prédio foram fechadas e cada vez mais professores chegam ao local. Por volta das 13h30, cerca de 50 policiais militares estavam no entorno do Palácio.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato), os vencimentos de R$ 3.281 (R$ 2.445 de salário e R$ 826 de auxílio-transporte), apresentam redução de 13% a cada hora trabalhada em relação às últimas contratações. O governo pretende contratar cerca de 10 mil funcionários por meio do PSS.

Atos contra a medida acontecem em diversas cidades do Paraná, em frente aos núcleos de Educação. Estão mobilizados educadores de Londrina, Maringá, Foz do Iguaçu, Cascavel, Umuarama e Toledo. educadores

“O governo resolveu reduzir salários dos professores e professoras do regime PSS, que já recebem os menores salários de toda a área de serviço público do nosso estado”, afirmou o presidente do sindicato, Hermes Leão. “Não tem nenhum tipo de justificativa que o governo possa usar para justificar tal ato, que só vai prejudicar o ensino público no estado. Neste ano, são mais de 20 mil pessoas trabalhando que terão seus salários reduzidos a partir do ano letivo de 2018”, diz a APP-Sindicato em nota.

A Secretaria de Estado da Educação argumenta que o salário fica acima do piso nacional para o magistério. “Os professores, pedagogos e tradutores e intérpretes de Língua Brasileira de Sinais (Libras) contratados ao longo de 2018 receberão vencimento mensal de R$ 3.281 (R$ 2.445 de salário e R$ 826 de auxílio-transporte), valor acima do piso nacional para o magistério. No mínimo 10 mil profissionais serão contratados.  O valor corresponde a 40 horas-aula semanais, sendo 10 delas passadas fora da sala de aula, em hora atividade (reservada para correção de provas e trabalhos, preparação de aulas, atendimentos, etc)”, afirma também em nota.

Para tentar desocupar o saguão do palácio, o governo recebeu uma comissão de negociação formada por sindicalistas. Secretários estaduais deram início à reunião com o grupo por volta das 13h30. O governo ainda não se manifestou sobre a ocupação do Palácio Iguaçu.

Previous ArticleNext Article