Projeto fotográfico revisita cenas clássicas do cinema

Narley Resende


Metro Jornal Curitiba

Os clássicos do cinema que impactaram gerações ganham uma nova faceta com o projeto ‘Fotograma Revisitado’, que recria cenas de filmes consagrados através da fotografia. Os retratos produzidos farão parte de uma mostra que será exposta no Museu da Imagem e do Som em 2018.

O trabalho é uma espé- cie de homenagem a diversos diretores que fizeram história – e continuam fazendo, como Alfred Hitchcock, Ingmar Bergman, Billy Wilder e Quentin Tarantino.

A autoria do projeto é do produtor audiovisual Tiomkim. “Quero retratar os clássicos, e sobretudo diretores contemporâneos. Não é uma cópia, mas uma reprodução para criar uma homenagem a esses filmes”.

As fotografias estão sendo produzidas em Curitiba, Rio de Janeiro e até em Los Angeles, onde o ator Leonel Pizani produziu um autorretrato para homenagear ‘Los Angeles, Cidade Proibida’ (1997), filme de Curtis Hanson. No Rio de Janeiro, o cenário para a recriação da cena do filme ‘Crepúsculo dos Deuses’ (1950) foi o famoso hotel Copacabana Palace, pelas lentes do fotógrado Matheus De La Palm.

O próximo trabalho será dedicado ao longa ‘Bonequinha de Luxo’ (1961), que será transformado em uma versão moderna com a tenista Mônica Gulin tirando uma selfie na pele de Audrey Hepburn. “Em algumas fotos, trazemos essa brincadeira, uma mesclagem de épocas em que o clássico se confunde com o moderno, criando um tom divertido”.

O ensaio mais recente foi dedicado ao ganhador de 7 oscars, ‘Golpe de Mestre’ (1973), de George Roy Hill. A cena ganhou contexto bem humorado, com os dois personagens interpretados na telona por Roberd Redford e Paul Newman jogando um video game virtual.

Entre as cenas menos conhecidas pelo grande público, está a recriação do cartaz original do filme considerado ‘cult, ‘Quero Viver’ (1958), que rendeu um Oscar de melhor atriz a Susan Hayward. A jornalista Bia Moraes vive a personagem.

Tiomkim escolheu personalidades conhecidas para reviver os personagens. “Procurei formadores de opinião, artistas plásticos e personalidades de Curitiba para o trabalho. O resultado é muito divertido”, conta.

Só depois de um ano de pesquisa o produtor apaixonado por cinema deu início ao projeto fotográfico, e com o apoio de amigos. ‘Sempre fui muito interessado por cinema, tenho mais de 500 livros sobre o assunto. Pesquisei muito e decidi que era a hora de iniciar um projeto, mesmo que não fosse um filme em si’, relata. Tiomkim também participa de programas de rádio da Televisão Educativa do Paraná para falar sobre trilhas sonoras do cinema.

Seleção

Os cliques serão feitos pelos fotógrafos Pedro Nossol, Matheus De La Palm, Kristyan Romankiu e Cyro Ridal. Vinte fotografias serão selecionadas com a curadoria de Tânia Buchmann e Charly Techio, supervisoras dos cursos de Fotografia e Artes Visuais do Centro Europeu.

O resultado do projeto será exposto no Museu da Imagem e do Som no início do ano que vem, ainda sem data exata. ‘O projeto é mais uma colaboração entre amigos. Não trabalhamos com cachê nem nada do tipo’, afirma Tiomkim.

A produção conta ainda com a colaboração de Oracy Munhoz da Rocha Lacerda nos figurinos, Ney Souza nos adereços, Rodrigo Alarcon com as jóias, Josué Lemos da Silveira na consultoria de moda e etiqueta.

Previous ArticleNext Article