Promoção, polícia e Procon em frente ao Mercadorama de Maringá

Julie Gelenski


Com Metro Jornal Maringá

O último dia de funcionamento do hipermercado Mercadorama, da rede Walmart, terminou em tumulto, ontem à tarde, no centro de Maringá. Equipes da Polícia Militar e do Procon foram acionadas para conter os ânimos depois que consumidores foram impedidos por seguranças de entrar na unidade, cujo encerramento da atividades foi anunciado na segunda-feira (20).

Durante a manhã foi grande o movimento de consumidores em busca de produtos em promoção. No início da tarde, com o interior da loja lotado, a gerência decidiu fechar as portas pouco antes das 14h. Os portões do estacionamento também foram fechados.A decisão revoltou quem aguardava na fila do lado de fora e alegava ter informações de que o atendimento se estenderia até as 17h.

Uma equipe da Polícia Militar foi acionada pela gerência do supermercado para conter os ânimos dos consumidores que, exaltados, exigiam a reabertura da loja. Atendendo à solicitação de clientes, dois fiscais do Procon foram até o hipermercado e lá ouviram do gerente que a empresa não havia divulgado e muito menos assegurado o funcionamento da loja até as 17h, conforme divulgado pela imprensa local.

De acordo com o Procon, dada a falta de materialidade que comprovasse a responsabilidade da rede na divulgação do suposto horário de fechamento, os fiscais apenas autuaram o Mercadorama. A empresa terá prazo de dez diz para apresentar defesa ao órgão.

Por volta das 15h40, os consumidores começaram a se dispersar. A reportagem tentou contato com a Rede Walmart, porém não obteve retorno.

Previous ArticleNext Article