Grupo vai a prédio de Greca e faz protesto contra o fechamento de bares e academias

Redação

academias bares greca curitiba protesto decreto coronavírus

O prédio onde o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM), tem um imóvel foi alvo de um protesto na noite deste sábado (13) após a prefeitura ter publicado um novo decreto que restringe diversas atividades na cidade para controlar a pandemia do coronavírus. Entre as reivindicações dos manifestantes, estão os fechamentos das academias e bares por tempo indeterminado a partir desta segunda-feira (15).

“Fora Greca” e “Academia fechada, gente desempregada” foram alguns dos gritos no ato, que também contou com um buzinaço e gerou transtornos no fluxo Avenida Vicente Machado.

Os vizinhos de Greca reagiram ao protesto e tacaram ovos nos manifestantes. Já o prefeito Rafael Greca ainda não se pronunciou e a prefeitura disse que não vai se posicionar sobre o ocorrido neste domingo (14). Além disso, a tendência é que Greca não estava no apartamento na hora do protesto já que ele mora em uma chácara. Veja vídeos do ato:

EM NOVO DECRETO, CURITIBA FECHA ACADEMIAS E BARES

Com aval da Secretaria Municipal de Saúde, a prefeitura de Curitiba publicou um novo decreto que determina novas restrições de atividades durante a pandemia do coronavírus. Além disso, a Secretaria ainda mudou a bandeira da cidade de amarela, que representa situação de alerta, para laranja, que significa “risco médio” contra a Covid-19. Caso a situação piore, a bandeira vermelha definirá o lockdown.

O novo decreto determina o fechamento de: bares e atividades correlatas; festas; academias e centros esportivos; Igrejas e templos religiosos; praças e parques públicos; clubes sociais; atividades de entretenimento com ou sem música e teatros.

Entretanto, o comércio segue aberto, mas com horários limitados de segunda a sexta-feira. As lojas de ruas e galerias poderão funcionar das 10h às 16h enquanto os shoppings centers podem abrir das 12h às 20h. As praças de alimentação devem funcionar das 12h às 15h – depois desse horário apenas poderão atuar em delivery. Contudo, todas as atividades que continuam em funcionamento devem seguir as medidas de higiene estabelecidas pela Secretaria de Saúde.

O decreto gerou revolta em alguns setores. A Abrabar, entidade que representa os bares, cafés, restaurantes e casas noturnas, entre outros, chegou a declarar guerra à prefeitura, mas apagou a mensagem.

A covardia do Prefeito de Curitiba e da Sra. Marcia, da Secretaria de Saude de Curitiba vão exterminar nossos negócios e centenas de pessoas que dependem da gente, especialmente produtores. Pergunto por querem generalizar toda uma categoria, separe joio do trigo!”, publicou em nova mensagem.

Conforme o último boletim, Curitiba soma 1.777 casos confirmados e 78 mortes por coronavírus.

Previous ArticleNext Article