Protesto de policiais civis contra o governo termina em confusão

O governador Ratinho Junior (PSD) lamentou a situação e atribuiu o protesto a questões sindicais que não estão resolvidas dentro da própria categoria

Redação - 11 de abril de 2022, 15:30

Reprodução/Redes sociais
Reprodução/Redes sociais

Uma confusão foi registrada nesta segunda-feira (11), em Curitiba, durante um protesto de policiais civis contra o governo. Um grupo composto por delegados e outros agentes da corporação se manifestou com faixas e gritos de ordem contra os valores de reajustes sancionados para as forças de segurança. As informações são da BandNews FM.

Os policiais ocuparam parcialmente, por mais de uma hora, a Avenida Victor Ferreira do Amaral, no bairro Tarumã, em frente ao Detran-PR (Departamento de Trânsito do Paraná). A tropa de Choque da Polícia Militar (PM) foi acionada e houve confusão.

Agentes usaram spray de pimenta para dispersar os manifestantes. Além disso, empurrões e agressões foram registradas entre policiais e seguranças.

O protesto ocorreu simultaneamente ao evento de inauguração do Detranzinho, uma "minicidade" para educação infantil sobre trânsito, que contou a presença do governador Ratinho Junior (PSD) e demais autoridades. Questionado pela imprensa, o chefe do Executivo lamentou a confusão.

“Eles têm o direito de se manifestar, mas infelizmente existe infelizmente uma briga interna e sindical. Haverá uma eleição em maio. Então, não podemos entrar em detalhes, pois é uma matéria interna deles”, avaliou o governador.

Alvo das críticas e do protesto, a lei sancionada pelo governador aplicou reajustes salariais diferentes entre policiais que estão em começo de carreira e agentes que possuem anos de trabalho. Para a categoria, a decisão faz um "achatamento" da tabela salarial e cria diferenças entre as classes policiais.

Em nota, o Governo do Paraná disse que respeitou a manifestação, mas que ela não pode impedir atividades rotineiras de outros órgãos públicos ou interromper o trânsito de uma avenida importante da cidade. Por fim, o governo informou que vai apurar se houve excessos na ação e tomará as medida cabíveis.

A Polícia Militar (PM), por sua vez, informou que foi acionada para acompanhar o protesto e no momento em que os ânimos ficaram mais exaltados, as equipes intervieram, utilizando o mínimo possível de reforço.

Durante a manhã, o trânsito na Avenida Victor Ferreira do Amaral, no bairro Tarumã, em Curitiba, ficou totalmente bloqueada por cerca de 40 minutos, no sentido Centro. Após a dispersão dos manifestantes o trânsito voltou ao normal.