Cerol e linha chilena não podem ser mais comercializados no Paraná

Redação

Cerol e linha chilena não podem ser mais comercializados no Paraná

O governador do Paraná, Ratinho Junior, sancionou nesta segunda-feira (27) a lei que proíbe a posse, uso, fabricação, comercialização e transporte do cerol e da linha chilena em todo estado.

O tema havia sido aprovado na Assembleia Legislativa do Paraná de forma unânime no dia 8 de julho.

A lei também prevê que o disque-denúncia 181 também poderá servir de canal para as notificações sobre cerol e linha chilena.

“É uma lei importante. Infelizmente trata-se de uma prática que ainda é levada na brincadeira, mas muito perigosa. Queremos combater quem vende e os irresponsáveis que colocam vidas em risco. Já existe uma fiscalização em cima do cerol, mas a nova lei traz um rigor maior nesse combate”, explicou Ratinho Junior.

Os infratores poderão responder criminalmente e também pagarem uma multa de R$ 1.059,40 para pessoas físicas e R$ 2.118,80 para pessoas jurídicas.

Em casa de reincidência, a multa deverá ser dobrada, sendo que caso o infrator seja menor de idade, seus responsáveis legais irão responder pelo delito.

O cerol é uma mistura de cola e vidro moído, enquanto a linha chilena é feita com Quartzo moído, algodão e óxido de alumínio.

Ambos são utilizados na linha das pipas para facilitar o corte de outras linhas de pipas, mas podem provocar diversos acidentes, em especial como motociclistas.

Previous ArticleNext Article