Oito presos envolvidos em rebelião na Penitenciária de Londrina são transferidos

Redação

presos rebelião londrina

Oito presos, envolvidos em uma rebelião na Penitenciária Estadual de Londrina 1, foram transferidos neste domingo (26). Eles fizeram um agente refém, na noite do último sábado (25), por cerca de cinco horas.

Os presos da chamada “cela do seguro”, que fica separada das demais galerias, fizeram o agente penitenciário refém. Tudo começou quando um deles fingiu que estava passando mal e dois agentes foram atendê-lo. Um dos profissionais entrou na cela e foi rendido. O outro conseguiu fechar a cela para evitar a fuga.

Seis viaturas do Batalhão de Choque da PM também foram acionadas e outras quatro com policiais da capital especializados em negociação de motins. Pouco depois da meia noite, o agente penitenciário foi liberado e o princípio de rebelião terminou.

PEDIDO DE TRANSFERÊNCIA

Em um primeiro momento, a intenção era fugir da penitenciária. No entanto, após conversas com o juiz da Vara de Execuções Penais, Katsujo Nakadomar, os presos pediram a transferência para presídios da capital. Eles alegaram risco de vida.

Apenas um preso não quis a transferência para Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba. Ele foi levado para Casa de Custódia de Londrina.

PENTE-FINO TERIA CAUSADO MOTIM

Segundo o Depen (Departamento Penitenciário do Paraná) a rebelião teria sido impulsionada por um pente-fino realizado na cela na última sexta-feira (24). Na ocasião, foram encontrados dois celulares.

A ação foi pontual naquela cela específica e aconteceu após denúncias.

A Penitenciária Estadual de Londrina 1 tem 630 vagas. Atualmente, 740 estão custodiados no local. Para o Depen, o número não é considerado como superlotação.

Com informações da Tarobá News

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="680857" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]