Receita Federal chega a 160 mil TV Box piratas destruídos em Foz do Iguaçu

Tarobá News

Destruição de TV Box piratas

A Receita Federal está completando um total de 160 mil TV Box piratas apreendidos e destruídos em Foz do Iguaçu desde 2016. Este número será alcançado na próxima quarta-feira (11/11). Neste dia haverá uma nova ação de destruição de equipamentos piratas na alfândega da cidade, responsável pelas apreensões na fronteira do Brasil com o Paraguai.

 

As TV Box piratas são equipamentos não homologados pela Anatel. Eles desbloqueiam ilegalmente os canais de TV por assinatura, violando direitos autorais e representando risco também os usuários. Isso porque são conectados à internet, permitindo a invasão das redes domésticas e acessos a dados pessoais.

 

Segundo estimativas da ABTA (Associação Brasileira de Televisão por Assinatura), estes aparelhos ilegais estão presentes em 4,5 milhões de lares no Brasil. Os dados são do IBGE e da Anatel. Com isso, causam um prejuízo de R$ 9,5 bilhões por ano para a indústria audiovisual no Brasil. Desse valor, R$ 1 bilhão em impostos que deixam de ser arrecadados pelos governos via Receita Federal.

 

Os equipamentos piratas apreendidos em Foz do Iguaçu são destruídos e têm algumas de suas partes enviadas para reciclagem. Para tanto, há um convênio da ABTA com a Receita Federal, firmado em 2016.

 

Recordes de apreensões da Receita nos últimos meses

 

Nos últimos meses, as operações contra a pirataria audiovisual se intensificaram também em outras regiões do país. Em setembro e outubro, uma série de ações coordenadas pela Polícia Civil, Polícia Federal, Receita Federal e Ancine apreendeu mais de 300 mil TV Box, no Rio de Janeiro, em São Paulo e no Pará.

 

Somente nos portos de Itaguaí e no porto seco de Resende, ambos no Rio, a Receita e a Polícia apreenderam mais de 200 mil caixas piratas. Entre o final de setembro e o início de outubro, foram mais de 50 mil apreensões nestes terminais.

 

Leia a notícia completa em Tarobá News

Veja mais informaçôes no site da Receita Federal.

Previous ArticleNext Article