Reni Pereira, ex-prefeito de Foz do Iguaçu, é condenado por corrupção a 11 anos de prisão

Redação

reni pereira, prefeito, ex-prefeito, foz do iguaçu, paraná, corrupção, fraude à licitação, mpf, jfpr, ministério público federal, operação pecúlio, condenado, condenados

O ex-prefeito de Foz do Iguaçu Reni Pereira foi condenado pela Justiça Federal a 11 anos e quatro meses de prisão por corrupção passiva, usurpação da função pública e fraude à licitação. Além disso, o réu da Operação Pecúlio deverá pagar pouco mais de R$ 1 milhão em multas.

De acordo com o MPF (Ministério Público Federal), Reni Pereira comandava uma organização criminosa que agia para obter vantagens econômicas. A estrutura criminosa teria começa a se organizar ainda antes de o ex-prefeito assumir a gestão (2013-2016).

Conforme a denúncia, a estrutura criminosa iniciava-se então prefeito e ramifica-se por secretários, diretores e funcionários comissionados ligados ao Poder Executivo de Foz do Iguaçu.

De acordo com as investigações, a principal forma de desvio de recursos se dava por meio de fraudes e corrupção. Eram cobradas propinas de empresários que mantinham contratos com a prefeitura. Empresários que não prestavam serviços ao poder público, mas que tinham interesse de concorrer a contratos novos, também pagaram propinas ao grupo.

O ex-prefeito de Foz do Iguaçu Reni Pereira respondeu ao processo no qual foi condenado por corrupção junto a outras 84 pessoas. Todas são rés em ações decorrentes da Operação Pecúlio.

Reni Pereira ainda pode recorrer da decisão. O ex-prefeito de Foz do Iguaçu não foi encontrado pela reportagem.

Previous ArticleNext Article