Revendas de gás são interditadas por falta de segurança em instalações

Rosangela Gris, do Metro Jornal MaringáSete revendas de GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) foram interditadas em Maringá p..

Fernando Garcel - 02 de dezembro de 2016, 11:23

Rosangela Gris, do Metro Jornal Maringá

Sete revendas de GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) foram interditadas em Maringá pela ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis) durante uma força-tarefa realizada na quinta-feira (1º). No total, os agentes percorreram 35 pontos na cidade. O trabalho começou de manhã e terminou no final da tarde.

Em seis locais, as interdições aconteceram devido à falta de segurança nas instalações. A sétima revenda foi fechada porque armazenava e vendia botijões sem autorização. “Conferimos a qualidade e peso dos botijões, documentação das empresas, preços praticados e o cumprimento das normas de seguranças para o armazenamento deste tipo de produto”, explicou Raimundo Nonato Rocha, agente de fiscalização e coordenador de Operações de GLP da ANP, ao listar alguns dos itens verificados pelos agentes.

A força-tarefa resultou ainda na apreensão de quatro cargas de botijões, que foram flagradas sendo transportadas irregularmente pelas ruas da cidade. “Para fazer esse tipo de transporte, o veículo precisa de identificação e equipamentos de segurança, como extintor. Também há a necessidade de nota fiscal de origem do produto”, diz Rocha.

Segundo o agente da ANP, a força-tarefa ocorreu a pedido do MP-PR (Ministério Público do Paraná) que, segundo ele, tem recebido denúncias de irregularidades de consumidores e empresários do ramo. Para retomar a atividade, as revendas interditadas terão que fazer adequações nas instalações e, em seguida, solicitar uma nova vistoria. A ANP teve apoio da prefeitura, por meio da Guarda Municipal e agentes da Setrans (Secretaria Municipal de Trânsito e Segurança), e da Defesa Civil.