Rodízio no fornecimento de água na Grande Curitiba pode acabar em março, diz Sanepar

David Musso - BandNews FM Curitiba

água, curitiba, região metropolitana, estiagem, reservatórios, níveis, nível, saic, sanepar, rodízio, racionamento

O rodízio no fornecimento de água em vigor em Curitiba e Região Metropolitana pode acabar até o final do verão, no ano que vem. A previsão é da Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná) e depende de dois fatores para se tornar realidade: que seja mantido o volume de chuvas previsto para janeiro e fevereiro; e que a população siga colaborando com a economia de água. As informações são da Bandnews Curitiba.

Para o diretor de meio ambiente e ação social da Sanepar, Júlio Gonchorosky, a perspectiva da companhia é que o rodízio no fornecimento de água se torne menos intenso nos próximos meses.

“O último relatório meteorológico que recebemos dizia que novembro e dezembro seriam de chuvas abaixo da média, e que teríamos chuvas na média em janeiro e fevereiro. Vamos ver o comportamento em novembro para que possamos tomar essa decisão, mas temos outros pontos bastante favoráveis. A população tem contribuído com uma economia próxima de 19%, entraram em funcionamento duas grandes transposições, do Rio Verde ao Passaúna e do Capivari para o Iraí, então o cenário é bastante positivo”, avalia.

O otimismo em relação ao fim do rodízio é fomentado pelo volume de chuvas na Grande Curitiba para o mês de outubro. Em quatro semanas, o nível dos reservatórios que abastecem a região subiu dez pontos porcentuais – saindo de 49% no final de setembro, para 59,91% nesta segunda-feira (25). Com o resultado, um racionamento menos severo deve entrar em vigor já nos primeiros dias de novembro.

“Nós nos reunimos periodicamente, o que precisamos nesse momento é esse relatório que o Simepar nos envia geralmente no primeiro dia útil do mês. Então imagino que em 1º de novembro ele já tenha sido encaminhado para deliberarmos. Mas são tendências positivas, atingimos 60% em março, quando iríamos entrar no período mais seco, quando historicamente chove menos, e agora estamos próximos dos 60% na entrada do período chuvoso”, explica Júlio Gonchorosky.

Atualmente vigora na Grande Curitiba um rodízio no fornecimento de água que reveza 36 horas de fornecimento, com 36 horas de interrupção. Ainda não há uma definição em relação ao modelo do novo rodízio, mas a previsão é que em novembro passe a vigorar um revezamento com 72 horas de fornecimento de água, com 36 horas de interrupção. Com o cenário de melhora na estiagem, a Sanepar planeja uma revogação gradativa do rodízio.

“A grande preocupação da Sanepar é não ter que tomar decisões e voltar atrás. Então preferimos ter uma segurança maior pra tomar uma decisão que esperamos que cada vez mais possamos reduzir o rodízio. Ainda é cedo, mas querermos fazer um caminho gradativo até o final do verão e nem ter mais rodízio. Claro, isso sempre depende das chuvas”, finaliza o diretor da Sanepar.

O rodízio no fornecimento de água na Grande Curitiba está em vigor desde março do ano passado, quando uma estiagem severa passou a afetar a região. Desde então, o racionamento variou de intensidade, mas nunca foi extinto. Caso chegue ao fim em março de 2022, data em que termina o verão, a região terá passado por dois anos completos de racionamento no fornecimento de água.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="799029" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]