Rodízio de água gerou economia de 90 bilhões de litros em Curitiba e região, diz Sanepar

O rodízio no de água em Curitiba e região, encerrado nesta quarta-feira (19), gerou uma economia de 89,8 bilhões de litros de água, de acordo com a Sanepar.

20 de janeiro de 2022, 12:59

Foto: Patrick Franciolli Macioszek/ Sanepar
Foto: Patrick Franciolli Macioszek/ Sanepar

O rodízio no fornecimento de água em Curitiba e municípios da Região Metropolitana, encerrado nesta quarta-feira (19), gerou uma economia de 89,8 bilhões de litros de água, de acordo com a Sanepar. 

O racionamento implantado pela companhia em março de 2020 por conta da grave crime de escassez hídrica durou 673 dias e evitou o colapso do sistema, ainda conforme a Sanepar.

A economia de água foi alcançada pela combinação das medidas que incluíram cerca de 20 obras e ações para obter novas fontes de captação e ao atendimento da população à META20 com o uso racional da água, com foco na diminuição do consumo em 20%. 

O diretor-presidente da Sanepar, destaca o esforço concentrado em conjunto com a população, que sofreu com a falta de água em pleno período de pandemia, mas cuja a economia evitou o colapso do sistema de fornecimento.

“A população ajudou muito. A campanha para diminuir o consumo em 20% foi incorporada plenamente. Obtivemos uma economia média de 17,17%. Começamos em agosto de 2020 e, dois meses depois, já havíamos batida a meta que foi repetida em setembro e outubro de 2021”, disse Claudio Stabile.

O volume economizado equivale à soma de três barragens do Sistema de Abastecimento Integrado de Curitiba e Região Metropolitana (SAIC): Passaúna, Piraquara I e Piraquara II.

Ao longo dos últimos 22 meses, o objetivo da Sanepar foi recuperar o nível das barragens, que chegaram ao seu momento mais crítico em 11 de novembro de 2020 com média de 26,77% de reservação.