Rota alternativa para Guaratuba poderá ter pedágio

Redação


O secretário do Estado de Planejamento de Santa Catarina, Murilo Flores, disse que o governo pretende conceder à iniciativa privada o trecho da SC-417 que liga Garuva a Itapoá, no litoral catarinense. A mudança pode afetar diretamente paranaenses que usam o trecho como rota alternativa para driblar o pedágio da BR-277 e chegar em Guaratuba, no litoral paranaense.

Segundo o Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra) de Santa Catarina, existe um estudo para que o pedágio fique antes da bifurcação que divide o fluxo de veículos que seguem para Itapoá e pra quem vai para Guaratuba.

Atualmente, quem vai para o litoral pela BR-376 e acessa Guaratuba por Garuva desembolsa R$ 10,40 para ir e voltar. Caso o trecho que liga Garuva a Itapoá seja privatizado, a estimativa é que o custo subiria para cerca de R$ 34 para veículos pequenos.

De qualquer forma, a estimativa ainda é mais barata do que o custo para acessar Guaratuba pela BR-277. Hoje, um veículo pequeno gasta R$ 50,80 (ida e volta) para chegar ao litoral pelo trecho. São R$ 37,40 em pedágio e mais R$ 13,40 no Ferryboat.

Em entrevista ao jornal catarinense ANotícia, Flores afirmou que a SC-417 é uma rodovia que precisará ser duplicada em breve, mas antes a prioridade é deixa-lá em boas condições de uso, concluir o estudo de viabilidade técnica para privatização e lançar o edital para licitação até o fim deste ano. Além do trecho que liga Garuva a Itapoá, o governo catarinense estuda privatizar também a SC-108, conhecida como Rodovia do Arroz, a SC-418, conhecida como Estrada Dona Francisca e também a BR-280.

“Queremos propor um modelo diferente de concessão para a SC-417, algo que viabilize a sua duplicação na vigência do contrato – explica. É claro que, caso seja privatizada, haverá cobrança de pedágio na rodovia e, nesse ponto, os estudos já apontam para um valor médio de R$ 10 a R$ 12 por veículo (de passeio)”, disse o secretário. “Não podemos cobrar um pedágio muito alto. O setor produtivo (empresas) entende que a cobrança de R$ 10 a R$ 12 é aceitável. Fizemos algumas simulações que chegaram a R$ 30. Não é o que queremos. Vamos cobrar um pedágio igual em todas as rodovias”, afirmou Flores.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="423137" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]