Sarampo: campanha de vacinação começa com mais de 1 milhão de doses

Redação

Vacinação -sarampo campanha

A Campanha Nacional de Vacinação contra o sarampo começa hoje (10) e vai até o dia 13 de março. No Paraná, o objetivo é interromper a circulação do vírus e garantir a distribuição de vacinas no estado. Ao todo, são mais de 1,245 milhão de doses da vacina disponíveis nas unidades estaduais de saúde neste início de campanha.

Além disso, o secretário nacional de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, estará em Curitiba no próximo sábado (15), data definida como o Dia D de mobilização nacional. A capital paranaense foi escolhida pelo alto número registrado de casos de sarampo.

AÇÕES NO PR

O Paraná avaliou as estratégias definidas pelo Ministério de Saúde, mas adotou ações diferenciadas para conter a transmissão do vírus. Nessa primeira etapa da campanha, o público-alvo da campanha nacional é dos cinco a 19 anos. Contudo, o governo estadual optou por contemplar as pessoas de cinco a 59 anos.

“A maioria dos casos confirmados de sarampo está na faixa etária de 20 a 29 anos. Por esse motivo o Paraná também fará a estratégia de vacinação indiscriminada, ou seja, todas as pessoas nessa faixa etária devem procurar as unidades de saúde para se vacinar”, explica Vera Rita da Maia, chefe da Divisão de Vigilância do Programa de Imunização da Secretaria.

Já pessoas de 5 a 19 anos, ou dos 30 a 59, têm a vacinação seletiva. É necessário levar o comprovante vacinal porque só serão vacinados aqueles que nunca receberam a dose (ou que estejam com o esquema vacinal incompleto).

SARAMPO: O QUE É E SINTOMAS

O sarampo é uma doença infecciosa, transmitida por vírus, e que pode ser contraída em qualquer idade. As complicações mais graves se dão em crianças com menos de cinco anos, como meningite, encefalite e pneumonia.

O vírus é transmitido pela respiração, fala, tosse e espirro. Já que as micropartículas virais ficam suspensas no ar, existe um poder alto no contágio.

Os principais sintomas do sarampo são: febre alta, tosse, coriza, conjuntivite e exantema (manchas avermelhadas na pele que aparecem primeiro no rosto e atrás da orelha e depois se espalham pelo corpo). Outros sintomas, como cefaleia, indisposição e diarreia, também podem ocorrer.

É necessário ficar atento aos sintomas, já que não existe tratamento específico. Os doentes ficam em isolamento domiciliar ou hospitalar a partir do aparecimento das manchas vermelhas.

VACINAS DO SARAMPO

A dose zero deve ser aplicada em crianças entre seis e onze meses enquanto a primeira dose deve ser aos 12 meses de vida com a vacina tríplice viral (que previne sarampo, caxumba e rubéola). Já a segunda dose é dada aos 15 meses de vida com a vacina tetra viral (que previne sarampo, rubéola, caxumba e varicela/catapora).

A população com até 29 anos deve receber duas doses da vacina. Já as pessoas entre 30 e 49 anos precisam ter o registro de uma dose.

Além disso, mulheres que estão amamentando podem ser vacinadas e aquelas que desejam engravidar, devem aguardar no mínimo 30 dias após receber a dose da vacina.

Por fim, não há indicação para tomar a vacina pessoas com: imunidade baixa, grávidas, menores de seis meses de idade e pacientes que tomam medicações imunossupressoras.

Previous ArticleNext Article