Saúde monitora casos de varíola dos macacos na Capital e Interior

Os pacientes monitorados moram em Curitiba, Cascavel e Londrina, e possuem históricos de viagem para São Paulo, França, Inglaterra e Turquia.

Redação - 29 de junho de 2022, 11:30

Reprodução/Opas
Reprodução/Opas

O Paraná possui três casos suspeitos de varíola dos macacos, também conhecida como Monkeypox. A informação foi confirmada nesta quarta-feira (29) pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).

Todos os pacientes estão sendo monitorados pela Saúde. São três homens com idades entre 27 e 39 anos que residem em Curitiba, Cascavel e Londrina, no Interior do estado. O primeiro caso no Brasil foi confirmado em 9 de junho, em São Paulo.

Os pacientes possuem históricos de viagem para São Paulo, França, Inglaterra e Turquia. As amostras dos suspeitos foram coletadas e estão em processo de envio para o Laboratório Central do Estado (Lacen/PR), responsável pela articulação com o Ministério da Saúde para envio ao Laboratório de referência para casos desta doença, em São Paulo.

Há algumas semanas a Sesa elabou uma Nota Orientativa sobre o fluxo assistencial para os casos suspeitos. O documento foi enviado aos municípios para orientação. Além disso, a Secretaria de Estado da Saúde criou uma página destinada a informações e publicações sobre a doença.

Varíola dos macacos - sintomas e transmissão

A varíola dos macacos é uma doença viral e a transmissão entre humanos ocorre principalmente por meio de contato com lesões de pele de pessoas infectadas ou objetos recentemente contaminados.

A infecção causa erupções que geralmente se desenvolvem pelo rosto e depois se espalham para outras partes do corpo. Os principais sintomas envolvem febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, linfadenopatia, calafrios e fadiga.