Segundo suspeito de participar de racha que matou trabalhador na BR-277 é preso

Redação e CBN Curitiba


Nesta terça-feira (4), a PCPR (Polícia Civil do Paraná) prendeu o segundo suspeito de participar de um racha que matou Marcelo da Trindade na BR-277, no bairro Orleans, em Curitiba. O mandado de prisão temporária foi cumprido no bairro Ecoville, na Capital, e o homem vai responder por homicídio com dolo eventual e competição automobilística não autorizada.

De acordo com as investigações, o homem estaria praticando um racha com o motorista do veículo BMW, no dia 13 de julho, que resultou na morte do trabalhador.

SUSPEITO NEGA PARTICIPAR DE RACHA QUE MATOU TRABALHADOR NA BR-277 

Segundo Edgar Santana, delegado responsável pelas investigações, o segundo suspeito de participar do racha confirmou estar dirigindo o veículo Volvo, mas nega participação em um racha.

“Ele afirmou que de fato era ele quem conduzia o veículo, no entanto negou a prática do racha e não se recorda da velocidade que se encontrava na via. Ele afirmou também que não tomou conhecimento do acidente posteriormente”, disse Santana para a rádio CBN Curitiba.

O delegado também afirmou que há contradições no depoimento do homem com as provas produzidas pela polícia, “principalmente as provas testemunhais, que relataram que os veículos se encontravam em alta velocidade praticando o crime de racha.”

Segundo Santana, o Volvo estava a 179 km/h e a BMW em 160 km/h. “Tem um trecho do laudo que os peritos afirmam que é possível estimar que dois quilômetros antes do local do acidente os motoristas estariam participando de uma corrida automobilista não autorizada.”

O motorista da BMW foi preso em flagrante, porém, a Justiça autorizou que ele responda ao processo em liberdade.

VÍDEO REGISTRA O TRABALHADOR MINUTOS ANTES DE SER ATINGIDO POR CARRO

Marcelo Trindade, de 48 anos, era funcionário terceirizado da Concessionária RodoNorte e fazia a limpeza do canteiro quando foi atingido pela BMW, que capotou e atravessou a pista, indo em direção da vítima. Com o forte impacto, o trabalhador não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Previous ArticleNext Article