Segurança de supermercado que matou fiscal de loja em confusão paga fiança de R$ 10 mil

Redação

Empresário acusado de matar funcionária de supermercado vira réu por homicídio

O segurança de um supermercado de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, que matou uma fiscal de loja, pagou fiança de R$ 10 mil nesta quarta-feira (29) e deve ser solto a qualquer momento.

Ele foi preso em flagrante após se envolver em uma confusão com um cliente que se recusou a colocar máscara de proteção e matou uma fiscal de loja do supermercado Condor.

SEGURANÇA DE SUPERMERCADO VAI RESPONDER POR HOMICÍDIO CULPOSO EM LIBERDADE

Tiago Wladyka, delegado responsável pela investigação, o segurança só será liberado após apresentação do alvará de soltura. Até o fechamento dessa matéria, o documento ainda não tinha chegado na Delegacia de Araucária.

O segurança irá responder por homicídio culposo, caso condenado, a pena é de 3 anos.

Já o cliente que provocou a confusão, permanece preso. A defesa do empresário já entrou com um pedido de liberdade provisória e aguarda a Justiça.

Como as autuações ultrapassam 4 anos de reclusão, a delegacia não impôs uma fiança.

“O empresário irá responder por injúria, perturbação do trabalho ou do sossego alheio, infringir norma do Poder Público (uso da máscara), dano qualificado e dupla lesão corporal. Vamos investigar se ele esbarrou na mão do vigilante e houve um disparo. Caso isso aconteça, ele também pode responder pela morte da moça”, diz o delegado.

Com isso, a pena pode chegar a 6 anos e meio de prisão.

USO DE ARMA DENTRO DE SUPERMERCADO

De acordo com Wladyka, o uso de arma dentro de um supermercado é legal, porém, é necessária autorização para prestar esse tipo de serviço.

“A empresa tem que estar autorizada a prestar esse tipo de serviço e a pessoa que manuseia a arma precisa ter cursos. A arma está registrada e legalizada, vimos os documentos. Agora, se ela pode prestar esse tipo de serviço e se o individuo poderia estar armado, vamos investigar.”

MULHER MORRE EM CONFUSÃO APÓS CLIENTE SE RECUSAR A USAR MÁSCARA

Um empresário, de 58 anos, se recusou a usar a máscara de proteção e agrediu um funcionário do supermercado Condor, em Araucária.

Ele entrou em luta corporal com o segurança do estabelecimento, que efetuou dois disparos. Um atingiu o empresário de raspão, mas outro foi fatal e matou uma funcionária do estabelecimento.

Segundo o mercado, ela se aproximou da briga para prestar esclarecimentos sobre o uso da máscara ao cliente. A regra foi determinada por decreto e passou a ser lei.

Cliente agride segurança e dois disparos são realizados:

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="696255" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]