Justiça condena seis policiais por tortura em caso ocorrido no CIC

Andreza Rossini


Seis policiais militares de Curitiba foram condenados a quatro anos e um mês de prisão pelo crime de tortura. Os PMs também perderam o cago e não podem assumir função pública por oito anos e dois meses.

A decisão foi tomada pela 11ª Vara Criminal de Curitiba após denúncia do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), ligado ao Ministério Público do Paraná.

De acordo com a denúncia, os policiais abordaram dois suspeitos na Cidade Industrial de Curitiba (CIC) e eles foram mantidos na casa de um deles, no mesmo município, pelos policiais.

O Gaeco aponta que eles foram algemados e torturados por cerca de uma hora e meia com socos, chutes e asfixia, entre outras violências (inclusive agressões de ordem sexual e ameaças de morte), na noite do dia 20 de junho de 2015.

Os dois homens foram colocados em viaturas separadas e levados em direção ao Rio Passaúna. Próximo à represa, os policiais mandaram que um dos homens entrasse na água e nadasse. Os PMs atiravam na água para impedir que a vítima voltasse à margem.

O outro rapaz foi liberado com a ordem que “corresse para não morrer”. Os policiais atiravam em direção à via enquanto a vítima corria. Os rapazes só foram liberados por volta das 3 horas da madrugada do dia 21.

Conforme a decisão judicial, os PMs devem cumprir a pena em regime semiaberto.

Ainda cabe recurso à decisão e a Justiça determinou que os réus possam recorrer em liberdade.

Previous ArticleNext Article