Grande Curitiba e Litoral
Compartilhar

Bancos voltam a funcionar nesta sexta-feira

Os bancários de Curitiba e região aceitaram durante assembleia na noite desta quinta-feira (06) a proposta apresentada p..

Fernando Garcel - 07 de outubro de 2016, 09:10

Os bancários de Curitiba e região aceitaram durante assembleia na noite desta quinta-feira (06) a proposta apresentada pela Fenaban, a Federação Nacional dos Bancos, e retornam ao trabalho nesta sexta-feira (07).

A proposta aceita é de reajuste de 8% nos salários, mais abono de R$ 3.500 a ser pago em até 10 dias após a assinatura da Convenção Coletiva de Trabalho. O acordo também prevê reajuste de 10% no vale refeição e vale creche, além de 15% no vale alimentação e 13º alimentação. O acordo se estende a 2017, quando os valores serão reajustados pela inflação mais 1% de aumento real.

ANÚNCIO

Ao contrário de outras regiões do país, os bancários da Caixa Econômica Federal de Curitiba e região também aceitaram a proposta específica para a categoria e retornam as atividades.

Negociações entre bancos e bancários

A Fenaban apresentou nessa quarta-feira (5) nova proposta de reajuste aos bancários para 2016 de 8% mais abono de R$ 3,5 mil. A proposta também oferece reajuste de 15% no vale alimentação; 10% no vale refeição; 10% no auxílio creche-babá.

A Fenaban aceita anistiar os dias parados desde que a proposta seja defendida em assembleias já nesta quinta-feira. O Comando Nacional dos Bancários orienta pela aprovação da proposta nas assembleias. Em São Paulo, Curitiba, e outras capitais, as assembleias dos trabalhadores estão marcadas para o fim da tarde. A orientação pelo fim da greve também foi feita às propostas específicas para o Banco do Brasil, Caixa Econômica e Banco do Nordeste.

> Bancários de Curitiba votam pelo fim da greve

ANÚNCIO

“Vencemos uma conjuntura extremamente desfavorável e conseguimos resolver, enfim, itens pendentes de várias campanhas, como o ponto eletrônico e as regras da PLR”, afirmou Gustavo Tabatinga, secretário de Políticas Sindicais da Contraf-CUT e Coordenador da negociação com o BNB.

Os trabalhadores reivindicavam reajuste de 14%, sendo 5% de aumento real, considerando inflação de 9%, entre outras reivindicações. A nova rodada de negociações entre a Fenaban e o Comando dos Bancários foi realizada na noite dessa quarta-feira (6). A reunião começou às seis e meia da tarde, em São Paulo. Outras duas reuniões ocorreram em seguida para debater a situação específica do Banco do Brasil e Caixa Econômica.

A proposta apresentada pela Fenaban também oferece “licença paternidade de 20 dias e a criação de um centro de realocação e requalificação para garantir empregos. Para 2017, foi prometido reajuste da inflação, mais 1% de aumento real nos salários e em todas as verbas. Os dias parados na greve deste ano deverão ser compensados, sem prazo limite.

Um dos argumentos para o pedido de reajuste com ganho real é que a crise econômica nacional não atinge o sistema bancário. De acordo com o sindicato, os banqueiros ganharam R$ 30 bilhões de lucro líquido no primeiro semestre e cobram a maior taxa de juros do mundo. Caso haja acordo na negociação desta quarta, os sindicatos devem convocar assembleias em todo o país no prazo de até 48 horas. Se as assembleias aprovarem o fim da greve, os bancos devem voltar a funcionar integralmente somente na semana que vem.