Grande Curitiba e Litoral
Compartilhar

Candidatos derrotados comentam resultado das eleições em Curitiba

Curitiba definiu hoje os dois candidatos que vão disputar o segundo turno das eleições deste ano: Rafael Greca (PMN) e N..

Mariana Ohde - 02 de outubro de 2016, 19:10

Curitiba definiu hoje os dois candidatos que vão disputar o segundo turno das eleições deste ano: Rafael Greca (PMN) e Ney Leprevost (PSD), que tiveram 38,3% e 23,6% dos votos, respectivamente, vão enfrentar novamente as urnas no dia 30 de outubro.

Após o resultado, os candidatos que não conseguiram votos para seguir na disputa comentaram o resultado.

ANÚNCIO

O atual prefeito Gustado Fruet (PDT) ficou em terceiro lugar, com 20% dos votos e disse ter cumprido a missão como prefeito de Curitiba. "Estou com um sentimento de missão cumprida, de alma leve por, nesse período, Curitiba não ter tido um colapso no sistema público, por Curitiba ter ficado à margem de tantas denúncias que nós ouvimos em outros governos. E acima de tudo: dar uma condição mais confortável para o próximo período de gestão", disse.

Gustavo Fruet ainda afirmou que deve definir em breve se vai apoiar outro candidato no segundo turno. "É um assunto que não precisa ser decidido hoje. Minha preocupação é reafirmar o agradecimento à população que confiou, o gesto de carinho, compreensão, não só na campanha, mas em todos esses anos", disse.

Gustavo Fruet segue no cargo de prefeito até o dia 31 de dezembro deste ano.

Requião Filho (PMDB) disse, após o resultado, que é oposição e que não vai apoiar nenhum candidato no segundo turno das eleições em Curitiba - o posicionamento deve ser o mesmo do partido PMDB. Requião Filho ficou em quinto colocado nas urnas desse domingo e disse que a campanha dele foi feita sem recursos. "Fizemos o possível, mas nosso recado, pelo jeito, não foi entendido pelo povo de Curitiba. mas faz parte, continuamos na luta", disse.

Requião Filho afirmou, ainda, que deve permanecer com a família durante toda a noite desse domingo e que não deve ir até a sede do partido ou até o TRE. O candidato também agradeceu aos votos que teve -ele ficou em quarto lugar com pouco mais de 5% dos votos válidos. "Quero agradecer quem me deu o voto de confiança. Temos propostas sérias, propostas possíveis, mas, infelizmente, a política continua sendo pautada por quem tem mais bandeiras na rua", lamentou.

Tadeu Veneri (PT) também não vai apoiar nenhum dos candidatos que chegaram ao segundo turno em Curitiba. Veneri disse que o PT deve permanecer na oposição e que o partido esperava ter feito mais votos. "Rafael Greca e Ney Leprevost são dois candidatos da direita, do setor mais conservador de Curitiba, é que obviamente não há sentido em nós entrarmos nesse processo", disse, criticando o número de propostas feitas pelos candidatos que seguem na disputa.

ANÚNCIO

Tadeu Veneri também disse que o momento do PT é difícil mas que em nenhum momento ele escondeu a que partido pertencia e fez o que estava ao alcance dele e do partido. Tadeu Veneri ficou em sexto lugar na disputa em Curitiba com pouco mais de 4% dos votos válidos.

O candidato Ademar Pereira (PROS) deve permanecer neutro no segundo turno também. Segundo a assessoria do candidato, o partido não vê conexão com nenhuma das candidaturas que foram para o segundo turno. Ademar Pereira deve ficar em casa durante à noite de hoje e não tem mais compromissos públicos. O candidato ficou em sétimo lugar com pouco mais de 1% dos votos válidos.

O partido PSOL deve fazer reuniões nos próximos dias para decidir se apoia algum candidato ao segundo turno em Curitiba. Segundo a candidata Xenia Mello, a tendência é que o partido não apoie nenhum candidato, já que amos são conservadores, segundo a candidata.

Apesar de ficar em oitavo lugar na campanha, Xenia considerou que o resultado foi satisfatório e avaliou que o partido teve um crescimento de votos em relação a última eleição. Xenia Mello teve pouco mais de 1% dos votos válidos. "Mesmo com a mudança da lei eleitoral, que nos prejudicou nos tirando do debate, das coberturas, tempo de TV, de forma muito positiva a gente conseguiu crescer, resistir, diante de um cenário conservador", disse.

Já a candidata Maria Victória (PP) não vai se pronunciar hoje sobre o resultado das eleições. Ela acompanhou a apuração da casa do vice Luciano Pizzato e, por volta das 18h, foi para casa e deve passar a noite de domingo com a família. Maria Victória agora deve fazer reuniões com a equipe para analisar o resultado e depois definir se apoia ou não algum candidato no segundo turno. Maria Victória ficou em quarto lugar com pouco mais de 5% dos votos válidos.

(Com informações da BandNews Curitiba)