Serial killer de homossexuais é condenado a 104 anos de prisão

Decisão da 12ª Promotoria de Justiça Criminal de Curitiba aponta os crimes de roubo, extorsão, latrocínio e homofobia.

Redação - 15 de julho de 2022, 13:12

(Foto: Reprodução/Redes sociais)
(Foto: Reprodução/Redes sociais)

Um réu denunicado por crimes em série contra homossexuais foi condenado condenado a 104 anos, seis meses e quatro dias de prisão. O serial killer atacava as vítimas após conhecê-las pelas redes sociais.

O homem foi denunciado pelo MP-PR (Ministério Público do Paraná) e a decisão da 12ª Promotoria de Justiça Criminal de Curitiba apontou os crimes de roubo, extorsão, latrocínio e homofobia.

O serial killer de homossexuais deve pagar, ainda, uma quantia de 229 dias-multa, o que corresponde aproximadamente a um valor de R$ 9,2 mil. Ele está preso preventivamente e não poderá recorrer em liberdade.

Segundo a ação penal, o réu agiu entre 2018 e 2021 nos estados do Paraná e de Santa Catarina. Ele entrava em contato com as vítimas por meio de aplicativos, sites de relacionamentos e redes sociais.

Depois de aproximar-se delas, simulando o desejo de estabelecer relações afetivas, o serial killer cometia os crimes. Entre as quatro pessoas que foram alvo dos crimes elencados na denúncia, duas foram mortas por ele.