Servidores da Cohab entram em greve por atraso de salário

Andreza Rossini e Assessoria

Os Servidores da Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) entraram em greve nesta segunda-feira (11), para cobrar o pagamento de salários atrasados.

De acordo com o sindicato da categoria, desde junho de 2017, o pagamento ocorreu em dia apenas em dois meses. A previsão é de que os salários devem ser depositados no último dia útil de cada mês. No entanto, a média de atraso tem sido de 10 dias.

Ainda segundo a entidade, os salários vencidos em maio não foram pagos até agora. A paralisação deve seguir até que os salários sejam pagos.

A decisão da greve foi tomada em assembleia geral dos funcionários, na última sexta-feira (8).


Edilene Pires da Silva Andreiu, Engenheira Civil da Cohab e diretora do Sindicato dos Engenheiros do Paraná (Senge-PR), diz que os atrasos refletem a postura da prefeitura com a política de habitação popular. “É um desrespeito com os trabalhadores, e também com a população, por refletir a precarização de uma área primordial para a promoção do direito à moradia para a população”.

Atualmente, há 51 mil pessoas inscritas na fila da Cohab, pelo acesso à casa própria.

Na avaliação dos sindicatos que representam os funcionários, a prefeitura se exime da responsabilidade com os salários, mesmo sendo detentora de 99% das ações da Companhia.
A Companhia é responsável pela construção de cerca de 700 empreendimentos habitacionais populares, em 40 dos 75 bairros de Curitiba. No total, ao longo de 53 anos de criação do órgão, 139 habitações foram construídas.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook