Servidores que usavam câmeras para filmar mulheres são demitidos

Fernando Garcel e Angelo Sfair

Os quatro servidores da Prefeitura de Guaratuba que usavam as câmeras de monitoramento da cidade para filmar mulheres foram exonerados. A demissão dos funcionários envolvidos foi publicada na edição de quinta-feira do Diário Oficial do Município (DOM). Por meio de nota, a prefeitura afirma que o relatório final da comissão de Processo Disciplinar aponta que os funcionários demitidos “utilizaram o sistema de monitoramento para efetuar as captações indevidas”.

A nota da prefeitura também esclarece que as investigações ainda não foram concluídas. Novos fatos surgiram em meio às investigações iniciais e uma portaria foi publicada para a criação de outra sindicância. Depois de constatar as irregularidades e desligar os servidores envolvidos na gravação, o Executivo agora apura as responsabilidades dos funcionários que extraíram e divulgaram as imagens sem autorização, expondo as mulheres vítimas.

O CASO

A denúncia foi feita por funcionários que descobriram a ação enquanto verificavam as imagens em busca de um adolescente que estava perdido na região. Os registros foram feitos por pelo menos 10 câmeras que fazem o monitoramento da Praia Central e outros três pontos turísticos da cidade. Os vídeos mostram a aproximação das imagens direcionadas para mulheres de biquíni na praia.


As imagens foram feitas por pelo menos 10 câmeras que fazem o monitoramento da Praia Central e outros três pontos turísticos de Guaratuba. Os vídeos gravados mostram movimentos deliberados para flagrar mulheres de biquíni e shorts na orla. O corpo do adolescente que as equipes procuravam quando descobriram as imagens foi encontrado dois dias depois, em Matinhos, também no litoral.

Post anteriorPróximo post