Setores fazem protesto contra decreto de Curitiba e criticam Greca em carreata

Vinicius Cordeiro

protesto carreata curitiba greca

Entidades do comércio, bares, restaurantes e academias, entre outros setores, fizeram um protesto com carreata por cerca de duas horas nesta terça-feira (1), em Curitiba. Todos criticam o atual decreto da bandeira vermelha, que determina limitações para o funcionamento da maioria das atividades não essenciais. Diversas faixas feitas pelos manifestantes eram críticas ao prefeito Rafael Greca. “Greca, não mate o comércio de fome. Não somos nós que aglomeramos”, “Mudamos o nome do prefeito de Curitiba. Rafael Quebra bares e restaurantes” e “Pede para sair, Greca covarde” foram alguns dos pedidos.

Outras mensagens estendidas se referiam ao momento atual. “Comércio fechado NÃO” e “Trabalhar atendendo as normas e protocolos é um direito”.

Além disso, o carro de som ressaltava que o protesto não era de bolsonaristas ou lulistas. Contudo, a concentração da carreata na Praça Nossa Senhora do Salete teve a venda de camisetas do Brasil com o número 17 e o nome do presidente Jair Bolsonaro nas costas.

Quem encabeçou o protesto de Curitiba foi a ACP (Associação Comercial do Paraná). O presidente da entidade, Camilo Turmina, chegou a pedir a renúncia do prefeito Rafael Greca e contou com o apoio de empresários e colaboradores de diversos setores econômicos.

“Lockdown não funciona. Não tem como enxugar gelo. Não parem o comércio, comércio é vida. Comércio é emprego e renda”, disse ele aos jornalistas.

Segundo Turmina, a prefeitura de Curitiba dispensou a proposta de rodízio no comércio e também sobre o transporte coletivo. “Cinco mil empresas já fecharam um ano e três meses de pandemia nada se fez”, completou.

FUNCIONÁRIOS DA HAVAN PARTICIPAM DE CARREATA NO PROTESTO EM CURITIBA

Protesto contra a bandeira vermelha em Curitiba. (Foto: Cassiano Rosário/Futura Press/Folhapress)

Com organização da ACP, o protesto em Curitiba também teve apoio do empresário Luciano Hang, dono da Havan. Em tom crítico ao prefeito Rafael Greca e também o governador Ratinho Junior, ele criticou que o Estado é um dos que mais restringe o comércio.

“Ou existe maldade ou incompetência dos gestores públicos tanto da cidade de Curitiba quanto do estado do Paraná. Eles não estão resolvendo o problema, estão criando dificuldades. Um dos lugares que mais fecham é Curitiba e um dos estados que estão se excedendo no fechamento é o Paraná”, disparou.

Além disso, o dono da Havan parabenizou a organização da ACP e firmou compromisso de que os colaboradores da Havan estariam presentes no protesto em Curitiba.

“Todos os nossos gerentes e toda a nossa força de trabalho estará nas ruas com vocês. Essa passeata já deveria ter acontecido antes. Só mostrando o poder de quem gera impostos e empregos para esse pessoal incompetente para que talvez eles acordem para resolver, e não criar, problema”, finalizou Hang.

Conforme boletim municipal, Curitiba está com taxa de ocupação dos leitos de UTI em 104%.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="767773" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]