Sexta-feira será de calor e chuva em Curitiba; veja a previsão do tempo em todo o Paraná

Vinicius Cordeiro e Caroline Deina - BandNews FM Curitiba

Curitiba sai de temporal para maior temperatura do ano nesta semana

A previsão do tempo para Curitiba nessa sexta-feira (14) segue com bastante sol, mas também vão ocorrer chuvas de verão. Já no resto do Paraná, a estimativa é do final de semana começar com o tempo seco e temperaturas altas.

Segundo o Simepar, o termômetro na capital deve ficar entre 17˚C e 29˚C, com pancadas no fim da tarde e início da noite. São esperados 9,5 milímetros de precipitações, principalmente entre às 15h e 21h. No Sul e no centro do estado, também deve chover: União da Vitória e Guarapuava, que devem ficar entre 17˚C e 31˚C, esperam cerca de 15 e 3 milímetros de água, respectivamente.

No Litoral, o pessoal vai poder aproveitar a praia o dia inteiro – a mínima será de 21˚C e a máxima chega a 31˚C.

O tempo é bom também no Oeste: Foz do Iguaçu tem a mínima prevista de 22˚C e máxima de 35˚C, enquanto Cascavel varia entre 19˚C e 31˚C.

Por fim, no norte, Londrina fica entre 19˚C e 33˚C e Maringá marca 20˚C e 35˚C.

Semana de calor

Essa foi uma das semanas mais quentes do ano no Paraná, mesmo que o verão não tenha chego. Na quinta-feira, o termômetro de Curitiba marcou aos 33ºC, enquanto as praias chegaram a 36ºC. Já na quarta, Antonina registrou a segunda maior temperatura dos últimos 20 anos: 43ºC, com sensação térmica de 57ºC.

Para Luiz Faraco, membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza, as variações acentuadas e o registro de temperaturas mais elevadas são resultados de fenômenos como o aquecimento global. Segundo ele, desde 2001 são registrados os anos mais quentes dos últimos 140 anos.

“Esses dias muito quentes são comuns na nossa região nessa época, faz parte da própria característica climática da nossa região. Mas temos um padrão bem evidente de aumento da temperatura média do planeta, que já subiu cerca de 0,9 ˚C”, avalia.

A previsão é de que, nos próximos anos, as variações climáticas fiquem mais frequentes, intensas e incertas. Nesses casos, a população vai encontrar temperaturas mais elevadas, chuvas mais acentuadas e secas mais constantes. Segundo Faraca, é necessário uma coordenação global, envolvendo todos os países, para diminuir esse ritmo de aquecimento.

A atividade industrial, o desmatamento, as queimadas e a queima de combustíveis fósseis são os principais responsáveis pelas mudanças climáticas.

Previous ArticleNext Article