Simepar emite novo alerta de tempestade e prevê chuvas intensas no Paraná

Os radares do Instituto Meteorológico do Paraná (Simepar) detectaram a formação de uma nova frente fria associada a um s..

Fernando Garcel - 17 de agosto de 2016, 14:08

Os radares do Instituto Meteorológico do Paraná (Simepar) detectaram a formação de uma nova frente fria associada a um sistema de baixa pressão que entra no Paraná pelo sul, nesta quarta-feira (17), e com ela o tempo quente dará lugar a chuvas e ventos fortes. Nos outros estados do Sul, há registro de ventos com velocidade de 100 km/h.

No início da manhã, já houve registro de chuvas nas regiões mais próximas de Santa Catarina e o tempo também deve mudar nas demais regiões no decorrer da tarde e início da noite, com alto risco de temporais com ventos fortes e granizo. Segundo o Simepar, os ventos devem atingir até 70 km/h e pode haver queda de granizo no sul e na Região Metropolitana de Curitiba (RMC).

Os municípios do norte e noroeste, principalmente próximos à divisa com São Paulo, não terão chuvas, mas os ventos sopram com intensidade moderada, de 40 e 60 km/h.

Segundo o meteorologista Samuel Braun, a linha de instabilidade avança pela dos Campos Gerais em direção da RMC e, associado as chuvas, já houve registro de descargas elétricas e há condições para queda de granizo em Guarapuava e na RMC durante a tarde de hoje. No acumulado, a capital pode registrar cerca de 80mm de chuvas entre quarta-feira e o sábado, de acordo com o especialista.

Já na quinta-feira (18), a frente fria deve se afastar do estado, mas áreas de instabilidades vindas do oeste deixam o tempo chuvoso em todo o Paraná, com previsão de pancadas mais intensas entre a tarde e durante a noite.

Em Curitiba, entre sexta e sábado, as chuvas ficam mais contínuas e só devem dar uma trégua no domingo. As outras regiões devem contar com pancadas ao longo do dia.

Esse é o segundo alerta meteorológico desta semana. Na segunda-feira (15), uma frente fria atingiu o estado vindo do oeste e houve registro de ventos de até 86 km/h. Em Ponta Grossa, nos Campos Gerais, equipes da prefeitura tiveram que cortar árvores que caíram e entregaram lonas para moradores que tiveram estragos em suas casas.